Em relatório, integrante da CPI do BNDES diz que Lula favoreceu a Vale em Moçambique


Cristiane Brasil, do PTB, citará atuação do ex-presidente para que a mineradora pudesse explorar mina de carvão

NONATO VIEGAS
23/12/2015 - 08h01 - Atualizado 23/12/2015 08h01
Cobrança de R$ 20 bilhões desviados da Petrobras preocupam Lula e o PT (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)
A deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ), que é uma das sub-relatoras da CPI do BNDES, apresentará um relatório no qual acusará o ex-presidente Lula de atuar para favorecer empresas brasileiras no exterior com a obtenção de recursos no banco público. O relatório será apresentado em fevereiro, na volta do recesso parlamentar.
Entre outros casos citados no documento, a que EXPRESSO teve acesso, Cristiane registra um suposto lobby de Lula em favor da mineradora Vale, em Moçambique. Segundo o relatório, Lula “esteve envolvido na negociação que favorecia a empresa brasileira em Moçambique, onde ajudou a empresa a conquistar a exploração da maior mina de carvão do mundo – a mina de Moatize, em 2012 – muito embora as autoridades moçambicanas tivessem expressado preocupação com a ‘inexperiência na exploração de carvão’ por parte da companhia brasileira”.
Cristiane Brasil vai sugerir, ainda, que o BNDES passe a contratar auditorias externas independentes para acompanhar as obras financiadas. Isso porque o banco, de acordo com ela, não faz o acompanhamento, confiando nas consultorias contratadas pelas próprias empreiteiras.
A deputada deu o seguinte título ao relatório.“BNDES: transformado em Robin Hood às avessas”, numa referência ao arqueiro que roubava dos ricos para entregar aos pobres.