Nova tecnologia ( dialise elétrica ) de hemodiálise elimina 50% mais toxinas


     
Diálise elétrica
Um novo método de tratamento biofísico conseguiu remover até 50% mais toxinas do sangue dos pacientes de doenças renais, que precisam fazer hemodiálise.
Com a tecnologia incorporada nos aparelhos de diálise, isto deverá resultar em uma redução considerável na duração das sessões de diálise.
O novo método utiliza o efeito de campos elétricos de corrente alternada para remover as substâncias tóxicas do sangue.
Toxinas ligadas a proteínas
Muitas substâncias produzidas naturalmente no corpo durante o metabolismo normal podem tornar-se tóxicas, particularmente quando seus níveis no sangue aumentam muito.
Em pessoas cujos rins não são saudáveis, não conseguindo mais filtrar essas substâncias, seus níveis continuam a aumentar e, sem intervenção, a pessoa pode morrer.
Uma parte das toxinas que precisam ser eliminadas liga-se a proteínas. No entanto, as técnicas de diálise disponíveis até agora não conseguem filtrar as toxinas nessa forma ligada às proteínas.
Quebra de ligação
"Esta nova tecnologia torna possível separar as substâncias tóxicas das proteínas. Ela consegue isso guiando-as através de um campo de corrente alternada com uma frequência e intensidade específicas," explica o Prof. Walter Zidek, da Universidade de Medicina de Berlim (Alemanha).
O Prof. Zidek explica que, "assim que a ligação entre toxinas e proteínas é quebrada, as toxinas podem ser removidas do sangue do paciente usando a tecnologia convencional de diálise, e a ameaça total das toxinas do paciente é reduzida."
A tecnologia já foi licenciada para um fabricante de equipamentos médicos e deverá estar disponível no mercado brevemente.
Fonte: Diário da Saúde – 06/01/2016