Moro considera cirurgia de mulher de Mantega no dia da operação um “infortúnio”


Ex-ministro da Fazenda estava em hospital quando foi abordado por policiais. No início da tarde, o juiz revogou a prisão de Mantega

MURILO RAMOS
22/09/2016 - 12h04 - Atualizado 22/09/2016 16h18
O juiz Sérgio Moro (Foto: Wilton Junior/Estadão Conteúdo)
O juiz da Lava Jato Sergio Moro considerou “um infortúnio” a presença do ex-ministro da Fazenda Guido Mantega em um hospital de São Paulo justamente no dia da deflagração daOperação Arquivo X. Mantega acompanhava sua mulher, que faria uma cirurgia.

De acordo com relato de policiais, apesar da situação inusitada,Mantega não atrapalhou o cumprimento do mandado de prisão.Ele é acusado pelos investigadores de pedir dinheiro ao empresário Eike Batista (R$ 5 milhões) a fim de saldar dívidas de campanha do PT.
No início da tarde, Moro revogou a prisão do ex-ministro. Em sua decisão, o juiz afirma que não sabia que Mantega acompanhava a mulher em cirurgia. O juiz diz que, como os mandados de busca e apreensão foram iniciados, o risco de Mantega interferir na colheita de provas ficou esvaziado. 

Corrupção reduz chances dos partidos de esquerda na eleição



pt
A crise ética que arrasa o PT desenvolveu rejeição do eleitorado a “partidos de esquerda”, que também se envolveram em escândalos ou se solidarizaram a governos petistas rejeitados. Confirmadas as previsões das pesquisas, nenhum prefeito “de esquerda” será eleito nas regiões Sul e Sudeste. No Centro-Oeste, o candidato do Psol lidera em Cuiabá. O PT, somente em Rio Branco e Porto Velho. Ponto final. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Pesquisas em capitais do Nordeste, reduto de Lula, indicam chances boas de três candidatos a prefeito do PDT e um do PCdoB. Zero do PT.
A maior derrota do PT deve ser em São Paulo, maior colégio eleitoral do País: pelas pesquisas, Fernando Haddad não chega ao 2º turno.
As urnas devem confirmar a hegemonia do PSDB e do PMDB como os maiores partidos políticos do país. Os dois lideram em sete capitais.

Mantega é petista. Mantega é das elites



Ladrão pé-de-chinelo tem prisão revogada porque a mulher está doente?
Não.
Mantega, contudo, não é pé-de-chinelo. É petista. Mantega é das elites.

Doença da mulher não deteve Mantega



Eliane Berger Mantega descobriu que estava com câncer em dezembro de 2011 e logo iniciou tratamento em São Paulo. Guido Mantega permaneceu no comando do Ministério da Fazenda e, em 2012, pediu os R$ 5 milhões a Eike Batista para o PT.

Gleisi critica ‘espetáculo’ e ‘humilhação’ em prisão de Mantega em hospital



Redação com estadao-5-8

gleisi8
Gleisi Hoffmann no Senado – Foto: Ag. Senado
A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) usou as redes sociais na manhã desta quinta-feira, 22, para criticar o que considera “espetáculo” e “humilhação” na prisão temporária do ex-ministro da Fazenda Guido Mantega, decretada na nova fase da Operação Lava Jato. “E não podia faltar o espetáculo e a humilhação, característicos de Moro e PF: retiram Guido do centro cirúrgico onde a mulher seria operada”, reclamou a petista, que também é investigada na operação e já teve o marido, o ex-ministro Paulo Bernardo, preso pela Lava Jato.
Em tom de ironia, Gleisi disse que prenderam Mantega porque ele iria “fugir” do hospital Albert Einstein.
O deputado Orlando Silva (PCdoB-SP), ex-ministro do governo Luiz Inácio Lula da Silva, também protestou via redes sociais contra a detenção de Mantega. Disse que ele tem endereço conhecido.
“Acionado, já colaborou com a Justiça. Prender no hospital parece abuso. Pra quem o conhece é chocante!”, criticou Orlando Silva.
Coletiva da PF
Na entrevista coletiva da Polícia Federal, em Curitiba, na manhã desta quinta-feira, os responsáveis pela lava Jato informaram que o pedido de mandado de prisão de Mantega foi emitido em agosto, mas, em razão da Olimpíada, o cumprimento teve que ser adiado. Os agentes lamentaram a coincidência do dia da prisão ser o mesmo em que o ex-ministro estava no hospital, em razão da cirurgia da mulher.

UFPR divulga relação candidato-vaga do vestibular 2017; veja a lista


Da UFPR
ufpr
(Foto: Divulgação)

O Núcleo de Concursos da Universidade Federal do Paraná (UFPR) divulgou, na tarde desta quinta-feira (22), a relação de candidato-vaga do Vestibular 2016-2017. O curso de Medicina, sediado no campus do Centro Politécnico, confirmou a tradição de ser o mais concorrido, com uma relação candidato-vaga de 56,54. Serão 8594 candidatos para 152 vagas.
Já o curso de Medicina do campus Toledo, que começou suas atividades em março deste ano, ficou com a segunda colocação. Registrou relação candidato-vaga de 55,62 – 3337 candidatos para 60 vagas. Os outros três cursos mais concorridos foram, na relação candidato-vaga: Psicologia (26,95 – 1725 candidatos para 64 vagas), Direito Matutino (26,64 – 2131 candidatos para 80 vagas) e Medicina Veterinária em Curitiba (25,38 – 1218 candidatos para 48 vagas).
Veja a relação completa de candidatos por vaga aqui.
Menos candidatos
O total de inscritos do Vestibular 2016-2017 é 7,53% menor que o do ano passado. Foram 54.492 mil inscritos neste ano (50593 do Processo Seletivo e 4349 do Curso de formação de Oficial da Polícia Militar – CFO) disputando 5494 vagas.
O motivo da redução foi a queda na oferta de vagas do SFO. Neste ano, foram só dez vagas para a Polícia Militar, sem a oferta para o Corpo de Bombeiros. Em 2015, foram 100 vagas no total – 90 para a PM e 10 para o Corpo de Bombeiros.
Vestibular 2015-2016
No Vestibular 2015-2016, houve recorde de inscritos. Foram 58.934 candidatos disputando uma das 4.886 vagas. No total, o processo seletivo teve 6.815 vagas disponibilizadas para 2016. Isso porque outras 1.929 oportunidades de ingressar na UFPR foram ofertadas pelo  Sistema de Seleção Unificada (Sisu).
Em 2015, Medicina ocupou o primeiro lugar da lista com uma relação candidato-vaga de 66,44. O recém-criado curso de Medicina do Campus de Toledo, que teve seu primeiro vestibular em 2015, ficou com o segundo lugar e concorrência de 37,02 candidatos por vaga.
Primeira fase será em 23/10
As inscrições para o Vestibular 2016-2017 da UFPR terminaram em 15 de setembro. A 1ª fase do Vestibular, com a Prova Objetiva de Conhecimentos, será realizada em  23 de outubro de 2016. A 2ª fase será em 27 de novembro (Prova de Compreensão e Produção de Textos) e em 28 de novembro (Provas de Habilidades Específicas).
O processo seletivo traz três mudanças em relação ao ano passado. A grande novidade é a possibilidade de o candidato ter acesso ao resultado da sua prova discursiva, na segunda fase. O Núcleo de Concursos vai disponibilizar o resultado da avaliação no seu site, com as notas de cada critério avaliado na prova, e abrirá espaço para recurso do candidato.
O percentual de vagas destinado ao Sisu caiu de 30% para 20% nos cursos. O número de vagas permanece o mesmo (6815). Mas, enquanto no ano passado as vagas para o Sisu eram de 1929, em 2016/2017 caíram para 1251, enquanto as destinadas ao Processo Seletivo passaram de 4886 para 5564. Das vagas oferecidas pela UFPR, 50% serão de concorrência geral. As outras 50% serão destinadas de acordo com o sistema de cotas, regulamentado pela Lei de Cotas (nº 12.711/12).

BENEFICIÁRIOS DO BOLSA FAMÍLIA DOARAM R$ 15,97 MILHÕES



Em meio à prisão e à revogação de Guido Mantega, um outro escândalo do dia quase passou despercebido: o TSE informou que beneficiários do Bolsa Família doaram, até aqui, R$ 15,97 milhões para as campanhas municipais deste ano.
Desse total, 67% correspondem a "doações estimadas", quando se presta um serviço ou se doa um bem, indicando um valor a ser considerado doação; 33% são doações financeiras mesmo.
O tribunal chegou a esses números a partir de um cruzamento de dados das prestações de contas dos candidatos com o cadastro do programa.

Marcela Temer já trabalha em programa social, mas não deve ficar no Planalto


estadao-5-8-3


A primeira-dama Marcela Temer já tem à sua disposição uma sala no terceiro andar do Palácio do Planalto, porém, segundo fontes, não deve ocupar o espaço. Segundo apurou o Broadcast Político, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado, a decisão teria sido do presidente Michel Temer. O assessor especial de Temer, Rodrigo Rocha Loures, já havia sido deslocado da sala para dar espaço à primeira-dama.
Marcela Temer não deve ficar no Planalto (Foto: EBC)
Apesar de não ocupar o Planalto, Marcela já tem feito reuniões sobre o programa Criança Feliz, do qual será embaixadora, no Palácio do Jaburu. A previsão é que o programa, que terá como foco atender as crianças de até 3 anos do Bolsa Família, seja lançado na primeira semana de outubro. A data deve ser fechada nesta semana.
Segundo fontes da pasta, Marcela esteve com o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, na sexta-feira passada e nesta semana deverá ter mais reuniões com técnicos sobre o tema, todas no Jaburu. A primeira-dama não terá uma função burocrática no programa, não assinará nada, apenas será uma embaixadora com a função de divulgá-lo.
Adiamento
A expectativa inicial era de que o programa Criança Feliz fosse lançado em agosto. Depois o prazo passou para setembro e agora para a primeira semana de outubro. O governo cogitou lançá-lo no dia 12 de outubro, para aproveitar o Dia das Crianças, mas, segundo fontes da pasta, a ideia foi descartada e o objetivo é que o lançamento finalmente aconteça na primeira semana de outubro.
Em junho, em entrevista ao Broadcast Político, Terra afirmou que neste ano serão investidos R$ 80 milhões de recursos próprios da pasta para bancar o projeto. “Em 2018, o nosso objetivo é investir até R$ 1,8 bilhão”, disse o ministro.
O programa, segundo o ministro, será “um avanço” em relação ao Brasil Carinhoso, programa feito pelo governo da presidente afastada Dilma Rousseff, que garantia creches para crianças de famílias beneficiárias do Bolsa Família. O programa social do governo Temer também será destinado às famílias que recebem o benefício e não prevê repasse de dinheiro para as famílias e sim um atendimento feito por “visitadores domiciliares capacitados” que criarão vínculos com as crianças para acompanhar o seu crescimento. A capacitação desses visitadores deve ser feita pelo próprio MDS em parceria com instituições, como universidades.
O modelo do programa é inspirado no Primeira Infância Melhor, implementado por Osmar Terra no Rio Grande do Sul quando ele era secretário de governo, há 13 anos. O programa, apesar das mudanças de governo, ainda é mantido.

5ª CAMINHADA DA PREFEITA BETI PAVIN NESSE SÁBADO DIA 24/09 NO SÃO GABRIEL




QUINTA CAMINHADA PARA COLOMBO CONTINUAR AVANÇANDO COM  A PRESENÇA DA PREFEITA BETI PAVIN E DE SEU VICE SERGIO PINHEIRO:

NESSE SÁBADO DIA 24/09 À PARTIR DAS 08.30 DA MANHÃ

ROTATÓRIA DA AVENIDA SÃO GABRIEL

Para Rui Falcão, operação desta quinta-feira deveria se chamar ‘Boca de Urna’



estadao-5-8-3


O presidente nacional do PT, Rui Falcão, afirmou na manhã desta quinta-feira, 22, que a prisão do ex-ministro Guido Mantega é “arbitrária, desumana e desnecessária”. De acordo com ele, a 34ª fase da Operação Lava Jato, denominada Arquivo X, deveria se chamar “Operação Boca de Urna”, uma vez que acontece às vésperas das eleições municipais. Falcão lembrou que Mantega é ex-ministro, tem endereço fixo e nunca se negou a dar esclarecimentos, sendo assim midiática a prisão em um hospital. Um pouco depois da declaração dada por Falcão, o juiz Sérgio Moro revogou a prisão do ex-ministro.
Na opinião do presidente do PT há também um “excesso de coincidências” nas ações da Lava Jato. Além da proximidade das eleições para a deflagração da nova fase, ele citou o fato de o juiz Sérgio Moro ter recebido a denúncia contra o ex-presidente Lula na terça-feira, 20, no mesmo dia em que Lula realizava uma teleconferência no lançamento da campanha “Stand With Lula” (Eu defendo Lula) organizada pela Confederação Sindical Internacional (UTC/CSI) em Nova York.
Sobre as suposições apresentadas nesta quinta-feira, de que haveria repasses de verbas para o PT, o partido respondeu: “O PT refuta as ilações apresentadas. Todas as operações financeiras do partido foram realizadas estritamente dentro dos parâmetros legais e posteriormente declaradas à Justiça Eleitoral”.

Polícia prende jovem que matou médico pneumologista em apartamento no Bigorrilho


Da Redação 
medicobigorrilho
Crime foi cometido no apartamento do médico (Foto: Banda B)

O latrocínio que vitimou o médico pneumologista Sérgio Roberto Savytzky, 58 anos, foi esclarecido pela Delegacia de Furtos e Roubos (DFR) de Curitiba, na manhã de quarta-feira (21), com a identificação e prisão do suspeito pelo crime. Wellington Vinicius Paris, 29 anos, foi preso em sua residência no bairro Boa Vista, após o cumprimento de um mandado de prisão temporária expedido pela 9ª Vara Criminal da capital. O delegado Emmanoel David, da DFR, afirmou à Banda B que Paris nega o crime, mas há provas do contrário.
suspeito
Suspeito nega o crime
Em depoimento, Paris disse que não mantinha contato com o médico há um ano e meio, o que durante as investigações foi negado por testemunhas.
“Ele esteve quatro vezes no consultório no ano passado e duas vezes neste ano. Além disso, estava no prédio no dia do crime. Todos os indícios apontam ele como o suspeito da prática do crime, até porque os dois mantinham uma relação pessoal, o que foi comprovado por funcionários do apartamento”, descreveu o delegado à Banda B.
O crime aconteceu no dia 12 de agosto deste ano, no apartamento da vítima situado no bairro Bigorrilho, quando o médico foi assassinado, vítima de esganadura – asfixia por compressão do pescoço com as mãos. O laudo definitivo do Instituto Médico Legal (IML), deverá ser concluído até o final de semana.
Após a prática do crime, o suspeito levou o celular, alguns objetos pessoais e o veículo Ecosport prata da vítima, utilizado para fuga. O veículo foi encontrado abandonado, no bairro Capão Raso, no mesmo dia do fato.
A polícia preferiu não entrar em detalhes da relação pessoal entre a vítima e o autor e nem sobre uma motivação que vai além do assalto. “Agora as diligências continuam durante o período de prisão preventiva do suspeito, a fim de complementar as provas contra o suspeito, que será encaminhado para a Justiça”, concluiu o delegado responsável pelo caso, alertando que “existem indícios muito consistentes de que ele cometeu o crime.
O suspeito foi encaminhado para a DFR, onde permanece preso à disposição da Justiça. Ele responderá pelo crime de latrocínio, se condenado poderá pegar até 30 anos de reclusão.

Eike: as datas não batem



Como dissemos antes, Eike Batista afirmou ao MPF que o relatório de João Santana para justificar os R$ 5 milhões só chegou às suas mãos no final doano passado. Mas o documento entregue à Lava Jato - se for o mesmo - indica a data de 10 de janeiro de 2013.
Eike precisa explicar melhor essa questão à Lava Jato. Ou João Santana e Mônica Moura.

Perguntem a Renan e Lewandowski



Os investidores estrangeiros querem saber se há segurança jurídica no Brasil!
Perguntem a Renan Calheiros e Ricardo Lewandowski, que rasgaram a Constituição para garantir a Dilma Rousseff o exercîcio de funções públicas.


EDUARDO CUNHA NAS MÃOS DE MORO



O Antagonista soube que Teori Zavascki já mandou para Curitiba as investigações contra Eduardo Cunha.
Agora é com Sérgio Moro.

Mantega e a Petrobras



A Polícia Federal e o MPF quiseram deixar claro que Guido Mantega presidiu o Conselho de Administração da Petrobras.
Sérgio Moro faz o mesmo em sua decisão:

EIKE SE SENTIU "COMPELIDO A DOAR"



Eike Batista contou ao MPF que se sentiu "compelido" a doar os R$ 5 milhões ao PT a pedido de Guido Mantega e que Mônica Moura procurou a Diretoria Jurídica de sua empresa para "instrumentalizar a doação".
"O ministro não ofertou nem lhe foi pedida nenhuma vantagem ou contraprestação, muito menos relacionada à Petrobras."
No mesmo depoimento, Eike conta que foi informado de que "não seria possível fazer uma doação respaldada pela legislação eleitoral".
"Veio então da senhora Mônica Moura a sugestão de simular um contrato de prestação de serviços para justificar a transferência para sua empresa, que teria créditos de campanha contra o partido do aludido ministro."