‘Poderosos encontrarão resposta na Justiça’, diz Moro sobre prisão em 2º grau


estadao_conteudo_cor

Foto: Agência Brasil
O juiz Sérgio Moro, figura mais conhecida da Operação Lava Jato, disse nesta quinta-feira, 6, que “crimes cometidos por poderosos encontrarão uma resposta na Justiça criminal”. Moro se referiu ao julgamento histórico desta quarta-feira, 5, no Supremo Tribunal Federal (STF). Por seis votos contra cinco, os ministros decidiram que condenados em segunda instância judicial já podem ir para a cadeia.
O julgamento estava empatado em cinco a cinco. Coube à presidente da Corte, Cármen Lúcia, o desempate. Ela votou pela execução de pena de prisão já quando houver decisão de colegiado – Tribunais de Justiça e Tribunais Regionais Federais. Os condenados poderão continuar na trilha dos recursos sem fim, mas na prisão.
Em 2015, Moro capitaneou com a Associação dos Juízes Federais uma ofensiva pelo cumprimento de pena de prisão em segundo grau. A reação foi imediata: juristas e advogados criminais fecharam um cerco sem tréguas ao juiz da Lava Jato.
Na avaliação de Moro, o Supremo decidiu que o País “não é uma sociedade de castas”. “Com o julgamento de ontem, o Supremo, com respeito à minoria vencida, decidiu que não somos uma sociedade de castas e que mesmo crimes cometidos por poderosos encontrarão uma resposta na Justiça criminal”, declarou o juiz, condutor das ações penais que culminaram na prisão de políticos, empreiteiros, doleiros e ex-dirigentes da Petrobras – foco do maior esquema de corrupção já descoberto no País. “Somos uma democracia, afinal”, concluiu Moro.

Homem é preso suspeito de roubar 20 mil dólares de imobiliária; amigo de vítima teria planejado crime


Por Felipe Ribeiro e Flávia Barros

Um homem de 52 anos foi preso suspeito de roubar 20 mil dólares de uma imobiliária do bairro Hauer, em Curitiba. De acordo com informações divulgadas nesta quinta-feira (6) pela Polícia Civil, Sidney de Oliveira foi contratado por um amigo pessoal do dono da imobiliária, que sabia detalhes de uma transação financeira ocorrida no dia 5 de agosto.
folhasdecheque
Foto: Flávia Barros – Banda B
De acordo com o delegado Emmanoel David, Oliveira chegou a render funcionários para realizar o crime. “No depoimento, o Sidney confessou o crime e disse que foi contratado. Essa outra pessoa, que é um amigo da vítima, sabia detalhes de onde estaria o dinheiro. O Sidney não teve dificuldades para encontrar o valor escondido”, disse.
Sidney foi preso em cumprimento a um mandado de busca e apreensão em sua residência, no bairro São Judas Tadeu, no município de São José dos Pinhais. No local, a equipe apreendeu US$2,5 mil dólares e R$56 mil em diversas folhas de cheques.
Oliveira foi indiciado por roubo majorado – devido ao uso de arma fogo e concurso de pessoas. O homem está preso na DFR à disposição da Justiça. Sobre o amigo do dono da imobiliária, o delegado informou que a polícia aguarda uma decisão judicial para realizar a prisão.

Forte chuva de granizo atinge Curitiba e ruas ficam cobertas de branco; confira fotos

 

Da Redação

forte chuva que caiu no começo da tarde desta quinta-feira (6) assustou os moradores do Centro e também do bairroRebouças, em Curitiba. Leitores da Banda B registraram a queda de granizo nessas regiões.
Segundo o Instituto Tecnológico Simepar, as chuvas devem ocorrer ainda durante a tarde de hoje, de forma isolada. A partir desta sexta-feira (7), o tempo promete permanecer estável em grande parte do Paraná, com o sol predominando desde as primeiras horas do dia.
Nos Campos Gerais, Grande Curitiba e Litoral, a incursão dos ventos que vêm do leste mantém a concentração de nuvens, com registros de chuviscos ocasionais. A temperatura na capital e região metropolitana deve continuar baixa. Em Curitiba, a mínima é de 10ºC e máxima de 19°C. Em Paranaguá, os termômetros ficam entre os 15ºC e 23°C. Já em Guaíra, no Oeste, esses números são de 9°C e 27ºC.
Balanço da prefeitura
Segundo a prefeitura de Curitiba, a chuva que atingiu o município na madrugada desta quinta-feira (6), entre 3 e 11 horas da manhã, teve rajadas de vento com picos de 35 km no período e acúmulo médio de 16,98 mm. O bairro mais afetado foi o Atuba, com 25,8 mm. Apesar do volume, não foram registrados pedidos de atendimento em equipamentos públicos ou privados pelos órgãos de monitoramento da Defesa Civil. Na UPA Campo Comprido, houve problemas na calha, mas sem afetar equipamentos e atendimentos.
Os transtornos maiores foram causados pelo granizo registrado a partir das 12h50 em diferentes pontos da cidade, com maior incidência nos bairros Rebouças, Santa Felicidade e região central.
Alguns equipamentos públicos foram atingidos, sem que houvesse interrupção de atendimentos. Houve pontos de alagamento em Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs), como no refeitório da CMEI Curitiba, secretaria e pátio de acesso às salas do térreo do CMEI Vila Torres e nos corredores do CMEI Marechal Rondon. Também houve registro de alagamento na Casa de Passagem para Mulheres e LGBT, no Rebouças, e nas US Capanema e Ouvidor Pardinho.
No CMEI Augusta, houve infiltração de água da chuva nas paredes. Telhas foram danificadas no CMEI São Leonardo. No CMEI Trindade, o alagamento de salas de aula levou ao remanejamento de 30 crianças para outras salas.
De acordo com a Urbs, dois pontos na região do Rebouças foram inteiramente bloqueados por conta da grande quantidade de pedras de gelo: Rua Alferes Poli, entre as ruas Almirante Gonçalves e Brasílio Itiberê, e na Rua Brasílio Itiberê, entre as ruas Piquiri e João Negrão.
Agentes da Secretaria Municipal de Trânsito estão nesses locais para orientar os motoristas. Um outro cruzamento, também ainda coberto com granizo, mas com tráfego em meia pista, é o das ruas Almirante Gonçalves e João Negrão. Equipes da limpeza pública estão removendo o granizo acumulado na região.
Por causa das fortes chuvas, que podem continuar durante a tarde, foi cancelada a aferição de radares na esquina das ruas Luís Leão e Conselheiro Araújo, no centro, ao lado do Círculo Militar.
A garoa deixa o tráfego escorregadio em ruas pavimentadas com paralelepípedos, o que exige atenção redobrada dos motoristas para evitar atropelamentos e colisões. A recomendação é circular com velocidade reduzida e os faróis baixos ligados, evitando frenagens bruscas. No centro, o risco é maior em ruas como a Trajano Reis, São Francisco, Almirante Barroso e Avenida Jamie Reis, todas na região do Setor Histórico.
Confira a previsão do tempo completa aqui e abaixo a galeria de fotos enviada pelos leitores da Banda B:
Na Rua João Negrão. (Foto: José Santos de Lima)
Na Rua João Negrão. (Foto: José Santos de Lima)
reboucas8
Rebouças. (Foto: Rodrigo Pereira)
reboucas6
Rebouças. (Foto: Wellington Batista)
reboucas5
Rebouças. (Foto: Wellington Batista)
reboucas2
Colégio Opet na Rua Getúlio Vargas no Rebouças. (Foto: Claryanna Souza)
reboucas
Colégio Opet na Rua Getúlio Vargas no Rebouças. (Foto: Claryanna Souza)
reboucas3
Colégio Opet na Rua Getúlio Vargas no Rebouças. (Foto: Claryanna Souza)
barbara-pereira-reboucas
Chuva de granizo no Rebouças. (Foto: Barbara Pereira)
chuva-granizo
Rebouças. (Fotos: Cristian Lopes)
granizoreboucas5
Rebouças. (Foto: Cristian Lopes)
granizoreboucas4
Rebouças. (Foto: Cristian Lopes)
rodrigo-maximio-centro
Centro. (Foto: Rodrigo Maximio)
reboucas

Prefeitura Informa: Feriado Municipal no dia 07 de outubro


WEBMASTER 6 DE OUTUBRO DE 2016
Em conformidade com a Lei nº 888/2004, o dia 07 de outubro, sexta-feira, é feriado municipal, data que celebra-se o Dia de Nossa Senhora do Rosário, Padroeira do município de Colombo.
Haverá atendimento normal nas Unidades de Saúde 24 Horas, Maracanã e Osasco. O expediente, nas demais repartições públicas, volta ao normal na segunda-feira, 10 de outubro, a partir das 8h.
Serviço:
PA Maracanã
Rua São Pedro, 855 (Jd. Fátima)
Telefone: 41-3562.9828
PA Osasco
Rua Zacarias M. Meira, 505
Telefone: 41-3606.2477
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo

Assessor de Palocci tenta suicídio



O operador de Antonio Palocci, conhecido como Brani, preso pela Lava Jato, tentou mesmo o suicídio na última sexta-feira, como publicamos aqui.
Lauro Jardim disse que ele tomou 40 comprimidos
É muito melhor delatar.

Projeto aproxima idosos e crianças através de músicas


WEBMASTER 4 DE OUTUBRO DE 2016

Os dois grupos se encontram para conversar e compartilhar afeto

IMG_4166Aproximar duas gerações – idosos e crianças. Foi com este objetivo que a Prefeitura de Colombo por meio da Secretaria de Assistência Social promoveu nesta terça-feira, 27, o Encontro Intergerações – no Projeto Pro-Criando São Dimas. O encontro além de fortalecer o vínculo, estimula a criar laços afetivos mais sólidos – promovendo o convívio entre os dois grupos.
Na ocasião, os Centros de Convivências Maria do Rosário e Monte Castelo e o Projeto Pro-Criando São Dimas se reuniram para uma apresentação musical e teatral. Dividido em dois momentos as crianças puderam mostrar o talento com as artes cênicas e os idosos espalharam nostalgia com musicas que marcaram a suas histórias. O projeto é marcado pela emoção e a troca de experiência.
Ao total, são oito projetos da região do bairro Guaraituba envolvidos. Um planejamento que vem sendo realizado desde 2015, entre coordenadores e técnicos da Prefeitura com tem como objetivo principal intensificar a convivência entre as gerações.   As visitas são alternadas, idosos visitam as crianças e, em outros momentos, as crianças que retribuem a visita.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo
Foto: Daiane Strapasson/ PMC

Maternidade Alto Maracanã será revitalizada


WEBMASTER 5 DE OUTUBRO DE 2016

A obra contempla pintura externa, colocação de guarda corpo, grades, duas escadas de incêndio e corrimãos nas rampas na parte externa e interna

Maternidade Alto Maracanã será revitalizadaA Prefeitura de Colombo, por meio da Secretaria de Saúde iniciou as obras de pintura do Hospital Maternidade Alto Maracanã.  O valor do investimento será de R$ 91.049,17 – incluindo toda a limpeza das paredes e a pintura externa do local. “Este é mais um grande investimento que realizamos na saúde. Além de fazer as adequações da estrutura para atender as legislações do Corpo de Bombeiro”, disse a Prefeita Beti Pavin.
Os serviços, que estão sob a supervisão da Secretaria de Obras e Viação, ainda abrangem a colocação de guarda corpo, grades, duas escadas de incêndio e corrimãos nas rampas na parte externa e interna da maternidade. Vale lembra que a duração da obra será de 60 dias.
“É nesta maternidade que nascem as nossas crianças, que são o futuro do município, e por isso, temos a obrigação de oferecer um serviço de qualidade, o qual não medimos esforços para garantir todo suporte necessário para as mamães e seus bebês”, afirmou a prefeita de Colombo, Beti Pavin.
Composto por 40 leitos onde são realizados atendimentos obstétricos, o contrato firmado por meio da Secretária da Saúde visa garantir o acesso dos usuários do sistema municipal em conjunto com as Unidades Ambulatoriais mantidas pelo município.
Serviço
Hospital Maternidade Alto Maracanã
Endereço: R. São Pedro, 892 – Jardim Nossa Sra. de Fatima – Colombo
Telefone: (41) 3675-5500
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo

Dilma furou fila do INSS para se aposentar um dia depois do impeachment


Documentos obtidos por ÉPOCA mostram que cadastro da petista foi alterado 16 vezes dentro da sede do INSS, e ex-ministro foi a agência para garantir pensão sem agendamento

BRUNO BOGHOSSIAN
30/09/2016 - 20h17 - Atualizado 30/09/2016 20h47
Às 15h05 do dia 31 de agosto, Dilma Rousseff assinou o documento que a notificava que o Senado havia aprovado sua destituição da Presidência da República. Terminavam ali, oficialmente, seus cinco anos e oito meses de gestão e pouco mais de 13 anos em cargos no governo federal. Menos de 24 horas depois doimpeachment, um de seus aliados mais próximos, o petista Carlos Eduardo Gabas, entrou pelos fundos da Agência da Previdência Social do Plano Piloto, na Quadra 502 da Asa Sul de Brasília. Acompanhado de uma mulher munida de uma procuração em nome de Dilma, Gabas passou por uma porta de vidro em que um adesivo azul-real estampava uma mão espalmada com o aviso: “Acesso apenas para servidores”.
Mas Gabas podia passar. Não estava ali apenas como funcionário de carreira da Previdência, mas como ex-secretário executivo e ex-ministro da Previdência do recém-encerrado governo Dilma, como homem influente na burocracia dos benefícios e aposentadorias entre 2008 e 2015. No papel agora de pistolão, Gabas subiu um lance de escadas até uma sala reservada, longe do balcão de atendimento ao público, onde o esperava o chefe da agência, Iracemo da Costa Coelho. Com a anuência de outras autoridades do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), o trio deu entrada no requerimento de aposentadoria da trabalhadora Dilma Vana Rousseff. Foi contabilizado um tempo de contribuição previdenciária de 40 anos, nove meses e dez dias. Quando Gabas saiu da sala, Dilma estava aposentada, com renda mensal de R$ 5.189,82, teto do regime previdenciário.
Tal celeridade poderia ser o triunfo de uma burocracia ágil e impessoal, implantada pelo governo Dilma. Mas não. O tempo médio de espera para que um cidadão consiga uma data para requerer aposentadoria em uma agência da Previdência é de 74 dias, segundo informações do INSS – 115 dias no Distrito Federal, onde o pedido de Dilma foi feito. Não há rastro de agendamento no sistema do INSS para que Dilma (ou alguém com uma procuração em seu nome) fosse atendida naquele 1º de setembro ou em qualquer outra data. O tratamento dispensado a Dilma foi, portanto, apenas um episódio de privilégio, obtido por meio de atalhos proporcionados por influência no governo.
Dilma Rousseff deixa  Palácio da Alvorada após o impeachment (Foto: Adriano Machado / Reuters)
A aposentadoria veio em boa hora. Naquele dia, Dilma perdeu o salário mensal de R$ 30.900 de presidente da República. Era preciso correr. Ninguém melhor do que Gabas que, além de influente no INSS, é um amigo de Dilma, que gosta de velocidade. Motociclista militante, ele levou Dilma algumas vezes para passear em sua Harley Davidson. Os passeios terminaram em 2015, quando a então presidente queimou a perna ao descer da garupa.
Dilma e Gabas afirmam que não houve nenhum privilégio ou tratamento diferenciado e que a ex-presidente já poderia ter se aposentado há dez anos. Dizem que o atendimento em uma sala reservada foi uma decisão do chefe da agência, que quis participar. Afirma ainda que o agendamento havia sido feito “meses” antes, que um pedido de alteração havia sido feito e que o atendimento “ficou para esta data”, exatamente um dia após o impeachment. Não explica, no entanto, por que não há registro desses agendamentos no sistema do INSS.
A aposentadoria-relâmpago de Dilma vinha sendo articulada com discrição no INSS havia meses, em um procedimento fora dos padrões, também sem agendamento. Em 10 de dezembro de 2015, oito dias depois que o então presidente da Câmara, Eduardo Cunha, do PMDB do Rio de Janeiro, anunciou que havia aceitado o pedido de impeachment da presidente, o cadastro trabalhista de Dilma foi refeito do zero no sistema do INSS. Naquele dia, entre 8h42 e 18h43, foram registradas 16 alterações na ficha laboral de Dilma, homologadas por uma única servidora, Fernanda Cristina Doerl dos Santos, que exercia uma função gratificada na Diretoria de Atendimento do INSS, na sede do órgão em Brasília – não em uma agência de atendimento.
O cadastro de Dilma no INSS foi alterado 16 vezes em dez horas por uma servidora da diretoria do INSS
Fernanda afirma que o procedimento foi o mesmo aplicado a qualquer cidadão. Ao longo daquelas dez horas, foram validados, alterados e excluídos vínculos trabalhistas desde 1975, que contariam para o cálculo de anos trabalhados por Dilma na concessão de sua aposentadoria, nove meses depois. O artifício foi classificado como “incomum” ou “excepcional” por três auditores e técnicos da Previdência consultados por ÉPOCA. Sobre as 16 alterações em sua ficha, Dilma afirma que havia constatado “pendências no cadastro” e, depois de apresentar documentos para a regularização dessas pendências, os registros foram atualizados. O presidente do INSS, Leonardo Gadelha, afirma que determinou a averiguação dos fatos. O INSS confirma que não houve agendamento para os atendimentos de dezembro e 1º de setembro. Todas as alterações no cadastro foram homologadas a partir da apresentação de documentos oficiais ou certidões emitidas pelos empregadores de Dilma – entre eles a Fundação de Economia e Estatística Siegfried Emanuel Hauser, onde começou a trabalhar. Uma coisa estava certa: pelas regras atuais, Dilma tinha tempo suficiente para se aposentar.