Prefeitura de Colombo fecha parceria com o Clube Santa Monica


WEBMASTER 8 DE NOVEMBRO DE 2016

Ao todo, serão 500 crianças beneficiadas com o convênio; os pequenos participarão de aulas nas escolinhas de Futsal e Ginástica Olímpica

A Prefeitura firmou parceria com o Clube de Campo Santa Monica, neste sábado, 5.
A Prefeitura firmou parceria com o Clube de Campo Santa Monica, neste sábado, 5.
As crianças participarão de aulas nas escolinhas de Futsal e Ginástica Olímpica.
As crianças participarão de aulas nas escolinhas de Futsal e Ginástica Olímpica.
Oportunizar as crianças de Colombo mais vivência no esporte. Foi com esse intuito que a Prefeitura de Colombo por meio da Secretaria de Esporte, Cultura, Lazer e Juventude firmou parceria com o Clube de Campo Santa Monica, neste sábado, 5.
“Queremos proporcionar as nossas crianças e jovens mais participação no esporte. Revelar grandes atletas do município e, principalmente, estimular a prática de exercícios físicos”, disse o Secretário de Esporte, Cultura e Lazer, José Mauri Henemann.
Ao todo, serão cerca de 500 crianças beneficiadas com o convênio. Os pequenos serão selecionados nas escolas do município e participarão de aulas nas escolinhas de Futsal e Ginástica Olímpica no Santa Mônica Clube de Campo e também nos Ginásios de Esportes do Município.
“O Clube Santa Mônica, possui uma das maiores estruturas na área de esporte do Paraná, e será uma grande conquista para toda comunidade esportiva do nosso município, graças ao apoio que temos da nossa prefeita Beti Pavin”, comenta o Diretor do departamento de Esporte, Paulo Cesar Cardoso.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo
Foto: BIC

A prefeita Beti Pavin recebe a visita do Deputado Federal Luciano Ducci


WEBMASTER 8 DE NOVEMBRO DE 2016
A prefeita Beti Pavin e o Secretário de Saúde, Darci Martins Braga receberam a visita do Deputado Federal, Luciano Ducci.
A prefeita Beti Pavin e o Secretário de Saúde, Darci Martins Braga receberam a visita do Deputado Federal, Luciano Ducci.
A Prefeita de Colombo Beti Pavin recebeu em seu gabinete na manhã, desta segunda-feira, 07, a visita do Deputado Federal, Luciano Ducci (PSB) para tratar de assuntos e projetos que visam à melhoria do município. O deputado colocou seu gabinete, na Câmara dos Deputados, em Brasília à disposição da prefeita – para intermediar recursos federais na área da saúde e obras de pavimentação.
Na ocasião, a prefeita também pediu recursos para melhorar a estrutura e os atendimentos na Santa Casa de Colombo. Além disso, foram colocadas em pauta outras demandas e projetos na área da saúde de Colombo que dependem de repasses de recursos federais. O deputado tomou conhecimento e interessou-se em ajudar a atual administração.
Estavam presentes durante a reunião: o Secretário de Saúde, Darci Martins Braga, o vice-presidente da Câmara de Vereadores, Gilgera e o assessor parlamentar do deputado.
Mais informações sobre o trabalho da prefeitura em:
FACEBOOK: facebook.com/pmdecolombo
Foto: João Senechal / PMC

MULTA DE 6 BI DA ODEBRECHT SERÁ DIVIDIDA



O valor de R$ 6 bilhões, que a Odebrecht deve pagar de multa no acordo de leniência que negocia com Brasil, Suíça e Estados Unidos, será dividido entre os três países.
Pouco mais da metade entrará nas arcas da Petrobras.
Segundo o Estadão, os suíços já pediram a cooperação do Panamá, Liechtenstein e outras jurisdições diante da descoberta de transações financeiras suspeitas nesses países.
"O mapeamento das atividades da Odebrecht pelo mundo já está praticamente encerrado", diz um advogado em Genebra próximo ao caso.

Moro marca data para depoimento de Lula como defesa de Cunha



estadao-5-8-3-6-1-1-4

lula
Sérgio Moro e Lula
O juiz federal Sérgio Moro marcou para o dia 30 de novembro o depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como testemunha de defesa do ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Em ofício enviado nesta terça-feira, 8, à Justiça Federal, em São Bernardo do Campo (SP), o magistrado pediu que o petista seja intimado com urgência para ser ouvido por videoconferência, às 17h30.
“Esclareço, outrossim, que o presente pedido se deve à imperiosa necessidade de dar celeridade a feito com réu preso (Eduardo Consentino da Cunha), bem como, também, por racionalidade, uma vez que já há ato agendado com essa Subseção, para a mesma data”, informa Moro, no Ofício Nº 7000002658133.
O juiz fez um aditamento a uma carta precatória já enviada anteriormente para a 3ª Vara Federal, em São Bernardo, em que agendou para o dia 30 a audiência de outra testemunha do processo.
Além de Lula, o ex-deputado arrolou como testemunha de defesa o presidente da República, Michel Temer (PMDB), que também recebeu ofício nesta terça-feira, 8, em que foi comunicado. Temer tem que decidir se quer ser ouvido em audiência por Moro ou se presta depoimento por escrito, respondendo a perguntas feitas pelas partes.
Cunha é acusado no processo da Lava Jato de ter solicitado e recebido, entre 2010 e 2011, no exercício de sua função como parlamentar e em razão dela, vantagem indevida, relacionada à aquisição, pela Petrobras de um campo de petróleo em Benin, na África.
O ex-presidente da Câmara é acusado de corrupção, lavagem de dinheiro, evasão fraudulenta de divisas pela manutenção de contas secretas na Suíça que teriam recebido propina do esquema na Petrobras. São mais de R$ 5 milhões em propina.
A ação já havia sido aberta pelo Supremo Tribunal Federal em junho. O processo foi remetido para a primeira instância em Curitiba, pois Cunha perdeu foro privilegiado desde que foi cassado pela Câmara, por 450 votos a 10, no dia 12 de setembro. Com isso, o Supremo remeteu esta ação contra o peemedebista para a Justiça Federal em Curitiba, sede da Lava Jato.
Cunha também chamou como testemunhas o ex-diretor da área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró, os ex-ministros Henrique Alves (Turismo/Governo Michel Temer), Mauro Lopes (Aviação Civil/Governo Dilma), o ex-deputado João Paulo Cunha (PT), o pecuarista José Carlos Bumlai (amigo de Lula), o economista Felipe Diniz, filho do ex-líder do PMDB na Câmara Fernando Diniz, morto em 2009, o vice-governador de Minas Gerais Antônio Eustáquio Andrade Ferreira (PMDB), os deputados Leonardo Quintão (PMDB-MG), Saraiva Felipe (PMDB-MG), o deputado estadual João Magalhães (PMDB-MG), Nelson Tadeu Filipelli (PMDB-DF), o ex-gerente da área Internacional Pedro Augusto Cortes Xavier Bastos, o ex-senador Delcídio Amaral (ex-PT), o professor de Direito José Tadeu de Chiara, o lobista Hamylton Padilha, o ex-funcionário da Petrobras Sócrates José Fernandes Marques da Silva e funcionários do Banco Merril Lynch.

Após mais de um mês, ocupações em escolas de Curitiba devem se encerrar nesta quarta


Por Felipe Ribeiro
Foto: EE De Estudante para Estudante/Reprodução Facebook
Foto: EE De Estudante para Estudante/Reprodução Facebook

Após mais de um mês de mobilizações, estudantes secundaristas devem desocupar todas as escolas estaduais de Curitiba até esta quarta-feira (9). A informação foi confirmada pelo Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), que afirmou que restam apenas seis instituições com manifestações de alunos. A liminar, que garantiu a maior parte das reintegrações, foi autorizada na última quinta-feira (3). No estado, já são menos de 20 ocupações.
À Banda B, o Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) confirmou que todas as 25 escolas do primeiro pedido da Procuradoria Geral do Estado (PGE) já foram reintegradas, assim como as 44 da segunda ação. Uma nova decisão emitida nesta terça (8) garante a reintegração das seis restantes.
Em Curitiba, as primeiras ocupações aconteceram no dia 7 de outubro. Os primeiros a aderirem ao movimento na capital foram o Colégio Estadual Jayme Canet, no bairro Xaxim, e o Colégio Estadual do Paraná, no Centro. No auge dos protestos, 87 instituições chegaram a ficar ocupadas. Os secundaristas protestam contra a Medida Provisória que promove reformas no ensino médio e contra a Proposta de Emenda à Constituição 55 (antiga 241), que congela gastos públicos por até 20 anos.
Reposições
Para as reposições, a Secretaria Estadual da Educação (Seed), cada escola terá agora que elaborar uma proposta conforme o número de dias que cada unidade ficou parada. As propostas terão que ser encaminhadas aos 32 Núcleos Regionais de Educação e posteriormente homologadas. A orientação da Secretaria de Estado da Educação é que sejam utilizados os sábados disponíveis até o final do ano, o 14 de novembro e o período de 22 a 30 de dezembro (que seriam recesso), e a sexta aula nos dias de semana.

SISTEMA GERENCIAVA 35 MIL CARGOS LOTEADOS PELO PT



Na denúncia contra Silvinho Pereira, o MPF revela que o ex-secretário do PT tinha em seu computador um software chamado "Sistema de Gerenciamento de Indicações - SGI, por meio do qual fizeram o loteamento de mais de 35 mil cargos.
O programa era acessado por meio de senha e cabia a José Dirceu sua coordenação, com apoio de Silvinho e ciência de Lula.

URGENTE: MPF DENUNCIA SILVINHO LAND ROVER



O MPF em Curitiba denunciou Silvio Pereira, ex-secretário do PT, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Ele recebeu mais de R$ 1 milhão em propina de contratos com a Petrobras, além de um Land Rover.
Segundo os procuradores, "evidenciou-se que Silvio Pereira, responsável pela indicação de ex-diretor Renato Duque, auferiu vantagem de contratos da PETROBRAS, na cota do Partido dos Trabalhadores".
Em 2004, Silvinho atuou para conseguir emplacar a GDK na Petrobras por meio de Duque. Em troca, recebeu o famoso veículo. Como o episódio ganhou as manchetes dos jornais, Silvinho acabou afastado do comando do PT.
A Lava Jato, porém, descobriu que ele continuou recebendo uma "mesada" por meio de contratos simulados de prestação de serviço com empresas envolvidas no petrolão.
A atual denúncia se restringe aos repasses feitos pela OAS, que somam quase meio milhão, mas há também repasses das empresas TGS Consultoria, SP Terraplanagem, Treviso e Projetec.
Além de Silvinho, foram denunciados os executivos da GDK (

ANDRÉ MOURA (PSC) TENTA DETER DELAÇÃO DA ODEBRECHT



A Câmara dos Deputados está para votar, talvez ainda hoje, o PL 3636, sobre os acordos de leniência, relatado por André Moura, líder do governo.
É um projeto vergonhoso, que tira o TCU dos acordos, não exige que a leniência seja prerrogativa da primeira empresa a colaborar com a Justiça, não requer aval do Ministério Público e paralisa todos os processos em que uma empresa é ré.
O projeto foi feito sob medida para calar a boca de Marcelo Odebrecht ainda em 2015 -- e, oportunamente, ressuscitado agora. Se aprovado, permitirá a todas as empreiteiras que continuem a ser irrigadas dinheiro público.
É grande o desespero para tentar evitar que a Odebrecht avance nas delações de políticos.

Delegado, escrivão e investigadores são presos por extorquir empresários do ramo de fogos de artifício


Da Redação 


A Corregedoria da Polícia Civil do Paraná informa que, com o apoio do Gaeco (Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado), do Ministério Público do Paraná, cumpriu 23 mandados judiciais nesta terça-feira (8) – 10 de prisão e 13 de busca e apreensão, todos em Curitiba.
Um delegado de polícia, um escrivão e seis investigadores, todos lotados na Delegacia de Explosivos, Armas e Munições (DEAM), além de dois comerciantes de Curitiba do ramo de fogos de artifício, foram presos suspeitos de crimes de concussão (extorsão praticada por funcionário público) e associação criminosa. Segundo a Gazeta do Povo, o delegado preso é Vinícius Borges Martins, chefe da DEAM.
A Corregedoria recebeu denúncias de que nos meses de novembro e dezembro de 2015 os policiais civis teriam exigido dinheiro dos empresários que fornecem fogos de artifício nos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul para que não fizesse a apreensão das cargas. A Corregedoria investigou cinco casos de concussão – dois ocorridos em novembro de 2015 e três em dezembro do mesmo ano. Há ainda uma denúncia que os investigadores teriam exigido dinheiro do dono de uma oficina mecânica para não apreender um veículo com irregularidades.
Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos na casa dos investigados e também na sede da DEAM. Os objetos apreendidos ainda estão sendo relacionados.
O delegado está detido na carceragem do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), os investigadores e o escrivão estão na cela da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV) e os comerciantes serão encaminhados para uma unidade prisional após depoimento na Corregedoria. Eles estão à disposição da Justiça.A prisão é temporária por cinco dias, podendo ser prorrogada por igual período e convertida em preventiva.
Se condenados, a pena para cada crime praticado pode chegar a mais de 10 anos de prisão.
Paralelamente, além do inquérito policial, a Corregedoria da Polícia Civil vai instaurar um procedimento administrativo interno para apurar transgressões disciplinares, podendo resultar em demissão do servidor público.

COLUNA DE SAÚDE DE ROSANE DO CARMO: CÂNCER DE PÊNIS



Como esse mês de agosto é dos papais, dedico mais um assunto sobre o homem e sua saúde.
  Falamos sobre o câncer de próstata e o de boca, mas essa semana achei um assunto interessante e muito importante, o câncer de pênis.
Ele acomete cerca de 2,1%  dos homens no Brasil  com 50 anos ou mais, o sintoma mais comum é o aparecimento de uma ferida avermelhada, que não cicatriza, ou de um pequeno nódulo, na glande, no prepúcio ou no corpo do pênis. Inicialmente, essas lesões podem não doer, o que retarda o diagnóstico;

Os principais fatores são:

·         (HPV tipo 16/18) papilomavírus humano; doença também transmitida pela relação sexual;
·         Falta de  higienização;,
·         Acúmulo  de esmegma (secreção branca resultante da descamação celular);
·         Fimose,   impede a exposição da glande (cabeça do pênis) por causa do estreitamento do prepúcio (a pele que reveste a glande);
·         Falta de informação;
·         Na situação  socioeconômica e educacional das pessoas, em geral moradoras das regiões mais carentes.

 O exame fisico, e a biópsia de lesão suspeita, são fundamentais para o diagnóstico do câncer de pênis. Quanto mais precoce o diagnóstico, maior a chance de cura.
  O tratamento do câncer assim como de outros tumores, é tratado de acordo com a gravidade e extensão da doença. A cirurgia constitui o tratamento mais adequado para a doença, muitas vezes é necessária a amputação parcial ou até total do pênis. Quimioterapia e indicada em caso de doença avançada ou metástatica.

Nas situações em que ocorre a amputação do pênis,  há a chance de colocar a prótese. O que  muitos podem não saber, mas é fornecido pelo SUS (sistema único de saúde).

Prevenções:

* Faça  sempre a higienização adequada do pênis;
* Ensine  as crianças desde pequenas, a maneira adequada de fazer a higiene intima,  todos os dias;
* Saiba que a cirurgia de fimose, ou circuncisão, para remover a pele do prepúcio que impede a exposição da glande e dificulta a higiene do local é simples e não requer internação hospitalar.
 Homens circuncidados estão mais protegidos contra o câncer de pênis;
* Não se descuide. O autoexame do pênis e das áreas ao redor é um passo importante para o diagnóstico;
* Use camisinha nas relações sexuais;
* Não adie a visita ao médico se notar qualquer alteração no pênis.
Fontes de pesquisas: www.oncomedbh.com.br/ câncer de pênis
                                       www.drauziovarella.com.br/câncer de pênis

Abracos
Rosane
Romor123@icloud.com



Cerveró diz que Lula o indicou em 'agradecimento' por negócio

Ele disse que teve reconhecimento de Lula em caso sobre dívida do PT.
Advogado do ex-presidente afirmou que ex-diretor falou por 'ouvir dizer'.

Renan RamalhoDo G1, em Brasília
O ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró afirmou nesta terça-feira (8), em depoimento à Justiça Federal, que foi nomeado em 2008 para a BR Distribuidora por indicação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em “agradecimento” por um negócio que aprovou anteriormente e que teria beneficiado diretamente o PT.
O advogado do ex-presidente, Cristiano Zanin Martins, afirmou que Cerveró contou o caso por "ouvir dizer" (leia mais abaixo). Em janeiro deste ano, quando o caso veio à tona, o Instituto Lula afirmou que a nomeação de Cerveró aconteceu por indicação de partido da base aliada.
Em nota, a entidade disse ainda que o ex-presidente nunca teve relação pessoal com Cerveró, muito menos sentimento de gratidão. Por fim, negou que Lula tenha tratado com qualquer pessoa sobre supostos empréstimos ao PT ou contratação de sondas pela Petrobras.
Segundo Cerveró afirmou no depoimento, quem fez esse relato a ele – sobre a suposta gratidão de Lula – foi Sandro Tordin, executivo do grupo Schahin.
Na época, contou Cerveró, o governo havia decidido demiti-lo da Petrobras por pressão do PMDB da Câmara, que indicou Jorge Zelada para a Diretoria Internacional. No mesmo dia da demissão, porém, o órgão aprovou sua nomeação para a Diretoria Financeira da BR Distribuidora por recomendação de Lula.
O negócio envolvendo o PT que Cerveró menciona diz respeito à contratação pela Petrobras, em 2009, do grupo empresarial Schahin para operar um navio sonda comprado pela Petrobras para exploração de petróleo na bacia de Santos. Segundo investigações da Operação Lava Jato, a negociação do contrato, iniciada por Cerveró, foi feita mediante um acordo para que a Schahin perdoasse uma dívida de R$ 12 milhões do PT. Cerveró já havia dado essa informação nos depoimentos da delação premiada.
O valor havia sido formalmente emprestado em 2004 pela Schahin ao pecuarista José Carlos Bumlai, amigo pessoal de Lula que teria atuada em nome do PT na operação. Em 2006, então como diretor Internacional da Petrobras, Cerveró teria dado aval à contratação da Schahin, beneficiando o PT, que ficaria livre de pagar o empréstimo.
Para o ex-diretor da Petrobras, essa negociação levou Lula a ter "reconhecimento" por ele.
“A informação que me foi dada era que [a indicação para a BR Distribuidora] seria um reconhecimento do trabalho que eu havia feito da liquidação da dívida do PT em 2006. Tinha conseguido através da contratação da Schahin, mediante a condição de que a dívida do PT com o Schahin seria liquidada. Foi o motivo de agradecimento ou reconhecimento que levou o presidente Lula a me indicar”, afirmou Cerveró.
saiba mais

Ele prestou depoimento na tarde desta terça dentro de um processo em que Lula, o ex-senador Delcídio do Amaral, o ex-chefe de gabinete de Delcídio Diogo Ferreira, o banqueiro André Esteves, o advogado Édson Ribeiro, o pecuarista José Carlos Bumlai e o filho dele, Maurício Bumlai, são acusados de tentar obstruir a Justiça evitando sua delação premiada.
Defesa de Lula
Presente na audiência, o advogado do ex-presidente Lula, Cristiano Zanin Martins, disse que nenhum dos depoimentos prestados confirma qualquer tentativa de Lula em evitar a delação de Cerveró. Em relação à nomeação de Cerveró para a BR, Zanin disse que o ex-diretor contou o caso por “ouvir dizer”.
“Ele diz que alguém teria dito isso a ele. Ele diz que foi o Sandro Tordin, que era da Schahin e com quem tinha relacionamento. Ele diz que não veio nenhuma confirmação oficial do Lula sobre isso. Entre ser e ouvir dizer de alguém tão distante do ex-presidente Lula, como é o Sandro Tordin, mostra como não tem qualquer sentido essa afirmação”, disse Martins.
No depoimento à Justiça, Cerveró ressaltou ainda que sua nomeação para a BR ocorreu de forma inesperada. Embora soubesse que seria demitido da Petrobras, só foi informado no dia da saída pelo então presidente da BR, José Eduardo Dutra, que havia sido escolhido por Lula para assumir uma diretoria na empresa. Dutra faleceu em 2015.
"[O Dutra] Entrou na minha sala e disse:  'Você vem comigo para a BR. Você foi indicado ontem'. Houve reunião em Brasília em que foi definido que eu estaria fora, mas o presidente Lula disse: 'O que vamos fazer com o Nestor?'. O Dutra disse: 'Se o Nestor concordar, vamos indicar o nome dele para o Conselho [da Petrobras]’. No próprio domingo, à noite, já tinha sido tomada a decisão do presidente Lula de me indicar para a diretoria financeira da BR”, afirmou Cerveró.
Dilma
Cerveró também disse que a ex-presidente Dilma Rousseff teria ficado "preocupada" em libertá-lo e ao ex-colega Renato Duque, presos em 2015 na Operação Lava Jato. O G1 procurou a assessoria da ex-presidente e aguardava resposta até a última atualização desta reportagem.
Em depoimento à Justiça Federal, Cerveró contou que tal preocupação lhe foi relatada por seu ex-advogado Edson Ribeiro, após conversa com o senador cassado Delcídio do Amaral,  acusado pela suposta tentativa de comprar o silêncio do ex-diretor.
“Uma das informações que me foi dita pelo Edson é que o Delcídio, nesse período, teria mandado um recado dizendo que a presidente Dilma estava preocupada com os meninos e que precisava soltar os meninos. Os meninos, no caso, eram meu colega na diretoria Renato Duque e eu. E o Edson me trouxe esse recado, que eu ficasse sossegado, porque havia essa preocupação da presidente Dilma que os meninos não ficassem presos”, disse Cerveró.
Empréstimo para o PT
Mais cedo, nesta terça, o sócio do Grupo Schahin, Salim Taufic Schahin, confirmou, em depoimento, que procurou em 2006 o ex-tesoureiro do PT João Vaccari para obter “apoio político” de modo a viabilizar a contratação da empresa pela Petrobras. O petista, relatou Salim, voltou a seu encontro posteriormente condicionando a contratação ao perdão da dívida contraída por Bumlai em 2004.
“Nós comunicamos ao sr. Vaccari que existia essa possibilidade e solicitamos apoio político. Não sabia nada sobre o assunto, mas conversaria com o partido. Duas semanas [Vaccari] depois voltou dizendo que iria dar apoio político, sob a condição de não cobrarmos mais o sr. Bumlai”, narrou Salim à Justiça Federal.

“Gleisi, peça perdão!”


gleisi2
O comerciante Sebastião Calmezini, leitor da Folha de Londrina, diz, em carta ao jornal com o título “Senadora Gleisi, peça perdão!”, que a petista deve se retratar com povo brasileiro. “Gleisi Hoffmann ficou 13 anos no poder e nunca se lembrou em perguntar para o povo se concordava ou não com o dinheiro que o PT jogou fora, mandando para Cuba, Venezuela e outros países, como também fazer acerto com a Petrobras na Argentina, na Bolívia, como o terminal marítimo em Cuba, etc”, disse Calmezini em carta ao jornal.

“Não perguntou ao povo se é normal um ex-presidente da Petrobras receber R$ 123 mil por mês sem fazer nada, não perguntou também se é normal os ex-ministros de Dilma, depois que ela foi afastada do poder, poderem gastar R$ 7,2 milhões engajados nas boquinhas se aproveitando das falhas do sistema que eles mesmos criaram. Não perguntou aos aposentados se eles aceitavam ter descontado em seus empréstimos, uma pequena comissão que somou R$ 100 milhões tirados dos bolsos dos necessitados”, adiantou.
“Nada disso a fez acordar para salvar o povo. Pois muito bem, sra. Gleisi vê se coloca a sua mente para ajudar a encontrar soluções e trazer de volta, pelo menos parte, do dinheiro que foi desviado, isso sim justificaria o amor que a Senadora diz ter pelo povo e não continuar mentindo, dizendo que não precisa diminuir os gastos do governo”, completou.
(foto: Agência Senado)