AS PRÓXIMAS DENÚNCIAS



A denúncia contra André Vargas por lavagem de capitais é a primeira de uma série de outras que virão baseadas no relatório de indiciamento de Meire Poza, contadora de Alberto Youssef, revelado com exclusividade por O Antagonista.
O quadro abaixo registra os destinatários de notas fiscais frias emitidas pelas empresas de Meire. A última da lista é a IT7, que repassou propina a Vargas.

TEORI AUTORIZA INQUÉRITO CONTRA ANDRES SANCHEZ



Teori Zavascki autorizou a abertura de inquérito para investigar o deputado Andres Sanchez por corrupção nas obras da Arena Corinthians, o Itaquerão.
Sanchez é acusado de receber R$ 500 mil da Odebrecht.

Temer se defende




Michel Temer acusou o PT de "misturar as coisas" para tentar cassar seu mandato no TSE.
O Estadão perguntou-lhe sobre o cheque de 1 milhão de reais recebido da Andrade Gutierrez.
Ele respondeu, por meio de sua assessoria:
"Nenhum cheque da empresa Andrade Gutierrez foi depositado na campanha eleitoral de Michel Temer em 2014".
O Estadão disse que o PT apresentou um cheque em nome de Michel Temer, destinado por Otávio Azevedo à sua campanha.
A assessoria de imprensa respondeu:
"No depoimento de Azevedo, há uma menção a R$ 1 milhão ao PT, em março, que é complemente diferente da doação feita ao PMDB, no valor de R$ 3 milhões. Foram desses R$ 3 milhões que houve repasse para a conta do então candidato a vice-presidente, como está registrado no TSE. A contribuição foi voluntária e seguiu a Lei Eleitoral”.
A reportagem citou então a defesa de Dilma Rousseff, segundo a qual
Otávio Azevedo “afirmou falsamente” à Corte que o dinheiro foi destinado ao diretório nacional do PT.
A assessoria de Michel Temer respondeu:
“Há uma tentativa óbvia de misturar assuntos diferentes. Azevedo faz referência ao R$ 1 milhão para o PT no mês de março. O depósito na conta do PMDB aconteceu no dia 3 de julho de 2014, com valor de R$ 3 milhões. São datas e valores completamente distintos”.

Laudo aponta que caminhão invadiu pista contrária e bateu contra ônibus, causando 21 mortes


Por Marina Sequinel e Flávia Barros
Secretaria de Segurança Pública (Sesp) apresentou laudo do acidente para a imprensa nesta quinta-feira. (Foto: Flávia Barros – Banda B)

O laudo da Polícia Científica do Paraná apontou que o caminhão foi responsável por causar o acidente que matou 21 pessoas na PR-323, no Noroeste do estado, no dia 31 de outubro. O veículo bateu contra um ônibus que transportava pacientes da cidade de Altônia até um hospital em Umuarama, para fazer cirurgias de catarata.
corpo-bombeiros
Acidente matou 21 pessoas no dia 31 de outubro. (Foto: Corpo de Bombeiros)
“Pelos dados técnicos e vestígios do local, nós concluímos que, em algum momento, o caminhão foi para a faixa contrária e, quando retornava para a pista certa, bateu contra o ônibus. Não havia marcas de frenagem, o que indica que não deu tempo de nenhum dos dois de usar o freio. Uma estrutura metálica atingiu o tanque do caminhão e houve vazamento de diesel. O fogo começou com uma fagulha e se espalhou pelo ônibus”, explicou o diretor-geral da Polícia Científica, Hemerson Bertassoni Alves, em entrevista coletiva realizada nesta quinta-feira (10).
De acordo com ele, dos 21 mortos, 18 precisaram de exames de DNA para serem identificados, já que foram carbonizados com o acidente. “Em um período de quatro a seis dias, nós conseguimos fazer todos os testes para a identificação das vítimas. Amanhã, todos esses laudos serão transferidos para o Instituto Médico Legal de Umuarama para que possam chegar até os familiares”, completou.
O perito Cláudio Luiz Mangini, que atendeu o acidente, afirmou que não é possível determinar a velocidade dos veículos no momento da batida. “Nós sabemos que o local estava escuro e seco, e a pista em condições regulares de rodagem. Pelos indícios, não dá para avaliar o ponto onde os veículos envolvidos começaram a parar. Só temos como pista a deformação deles após o impacto, o que não é suficiente para definir a velocidade. O laudo concluiu apenas que o caminhão estava na contramão e o ônibus fez um desvio repentino, não teve tempo de desviar”.
O motorista de uma Parati, que seguia atrás do ônibus e chegou a colidir contra ele, também será ouvido para que a polícia apure mais detalhes sobre o caso.
O acidente, que aconteceu nas proximidades de Cafezal do Sul, no interior do Paraná, matou 21 pessoas e deixou pelo menos 15 feridas. O condutor do caminhão não resistiu e morreu ainda no local.

Senado aprova cláusula de barreira a partidos e fim de coligações


senado
O Senado aprovou na noite desta quarta-feira, 9, em primeiro turno, a proposta de emenda à Constituição que estabelece cláusula de barreira para as legendas que irão disputar as próximas eleições de 2018. De acordo com o texto aprovado, os partidos terão de obter, no mínimo, 2% dos votos válidos para a Câmara dos Deputados, em 14 unidades da Federação, para ter representatividade no Congresso e acesso ao fundo partidário e ao programa eleitoral de rádio e TV. O porcentual de desempenho sobe para 3% a partir de 2022. As informações são de Erich Decat, Alline Magalhães e Paulo Palma Beraldo no Estadão.

“A PEC é uma resposta que o Senado dá à sociedade brasileira que não pode mais conviver com 35 partidos políticos registrados e mais de 30 partidos com solicitação de regularização no Tribunal Superior Eleitoral”, afirmou o presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), um dos autores da proposta. O outro autor, Ricardo Ferraço (PSDB-ES), também comemorou. “Acabou a farra de partido político no Brasil. Não podia continuar como estava”, disse ele.
Derrota. Durante a discussão no plenário, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), chegou a apresentar uma sugestão para flexibilizar os porcentuais de desempenho. Na proposta do senador, a cláusula seria de 1% em 2018, 1,5% em 2022 e 2% em 2026. No entendimento de Randolfe, tais porcentuais poupariam legendas consideradas ideológicas, como Rede, PSOL, PPS, PV e PCdoB.
“O destaque que apresentamos é para que nesta mesma proposta seja feita uma ponderação, em nome do bom senso. Não é o ‘liberou geral’, é a preservação de legendas de conotação ideológica”, afirmou Randolfe. Apesar de contar com apoio da bancada do PT, a iniciativa do senador foi derrotada pela maioria.
Uma das alternativas às legendas consideradas “nanicas” é a possibilidade de se formar uma “federação partidária” para disputar as próximas eleições. De acordo com o texto aprovado, as federações deverão ser compostas por partidos com afinidade ideológica e programática e deverão ser mantidas no Senado, na Câmara, nas Assembleias Legislativas e na Câmara Legislativa do Distrito Federal. Caso uma das legendas que integre a federação resolva deixar o grupo antes do término de sua vigência, ela terá suspensa o repasse do fundo partidário e não contará mais com acesso gratuito partidário e eleitoral ao rádio e à televisão.
Paulo Bauer (SC), líder do PSDB no Senado, acredita que o excesso de partidos no Congresso mostra a urgência da cláusula. “É importante para limitar o número de partidos no Congresso, barrando as legendas de aluguel ou partidos nanicos que, mesmo com bancadas minúsculas, travam o trabalho do poder legislativo”, disse.
Contra. Para o presidente do PHS, Eduardo Machado, tirar o direito ao fundo dos que não atingem o porcentual é antidemocrático. “Com isso, o Brasil volta a ter dois ou três partidos”, critica. O PHS conquistou 36 prefeituras nas últimas eleições (crescimento frente às 16 de 2012). Segundo ele, a cláusula deve diminuir o número de vagas disponíveis aos cidadãos se candidatarem e reduzir as chances de pessoas com menos recursos entrarem na política.
Segundo cálculos do Estadão Dados, de cada R$ 5 do financiamento público das atividades políticas na última década, R$ 1 foi direcionado a partidos com baixa representatividade, que obtiveram menos de 2% dos votos na última eleição para a Câmara em termos nacionais ou na maioria dos Estados. Enquadram-se nessa categoria 19 legendas, que custaram R$ 1,7 bilhão em subsídios desde 2007. Esses 19 partidos elegeram apenas 13% dos deputados federais em 2014.
Além da cláusula de barreira e da possibilidade de formação de federações, a PEC também estabeleceu o fim das coligações a partir de 2020, quando deverão ocorrer as próximas eleições municipais.
(foto: Dusek/Estadão)

Professor Abobrinha contra Sergio Moro



O site do PT informa que a campanha “Por um Brasil justo pra todos e pra Lula", que será apresentada agora, conta com a adesão de artistas e intelectuais como Laerte, Maria Casadevall e o professor Abobrinha.
E mais:
"O presidente nacional do PT, Rui Falcão; a presidenta do PCdoB, Luciana Santos; o presidente do PDT, Carlos Lupi; o presidente da CUT, Vagner Freitas; a presidenta da UNE, Carina Vitral; além do representante do MST, João Stédile; e do MTST. Guilherme Boulos, estarão no local para o ato".

Auditoria do Itaquerão acusa 'roubo' da Odebrecht



Uma auditoria feita pela atual gestão do Corinthians descobriu que a Odebrecht e as empresas Temon e Heating & Cooling se apropriaram de recursos que deveriam ter sido usados na obra do estádio.
Cláusula do contrato do clube com a empreiteira previa que o dinheiro economizado em determinada parte da obra deveria ser reaplicado na própria construção.

Randolfe busca apoio da OAB pelo fim do foro privilegiado


randolf
Severino Motta, Veja
O senador Randolfe Rodrigues (Rede-PE), relator da PEC que extingue o foro privilegiado, foi à OAB nesta quarta-feira pedir o apoio do presidente nacional da entidade, Claudio Lamachia.
Lamachia disse que entende que a atual regra precisa sim ser alterada, já que o número de privilegiados é muito alto e atrapalha a Justiça. A grande quantidade, segundo Lamachia, emperra a estrutura dos tribunais e favorece a morosidade no julgamento dos detentores de foro.

A OAB, inclusive, já está formulando uma proposta de mudança na regra. Ela deve ser fechada no começo de dezembro.

Não há teto para orçamento da Saúde, afirma Barros


sus
O ministro da Saúde, Ricardo Barros, voltou a afirmar que a PEC que limita gastos públicos não reduzirá os orçamentos da Saúde. Segundo ele, o texto assegura ao Ministério da Saúde 15% da receita corrente líquida da União. A PEC foi aprovada nesta quarta-feira (9) na CCJ do Senado.
“A PEC não fala em teto para a Saúde, ela fala em piso. Este ano temos um orçamento maior do que no ano passado, com correção da inflação. Temos R$ 1,7 bilhão a mais do que o mínimo constitucional e o Congresso Nacional colocou mais R$ 18 bilhões em emendas”, disse em entrevista às rádios.

Segundo o ministro, a Saúde sempre terá os recursos assegurados pelo Congresso. “O Congresso pode colocar recursos quanto quiser na Saúde, porque não há teto, apenas piso”.

NÃO PERCA SEU TEMPO, MORO COM GENTE COMO RENAN



Sérgio Moro foi convidado por Renan Calheiros para discutir o projeto de abuso de poder. Pelo resultado do projeto das Dez Medidas, a presença de gente como Moro e Deltan só serve para dar aparência de legitimidade aos atos espúrios de gente como Renan.

Assad lavou quase R$ 160 milhões


A Operação Dragão descobriu que Adir Assad recebeu em suas empresas de fachada quase R$ 160 milhões oriundos das mesmas empresas que repassaram mais de R$ 50 milhões às de Rodrigo Tacla Duran...

A ULTIMA FRONTEIRA DAS PROPINAS DA ODEBRECHT



A Operação Dragão deve seu sucesso especialmente ao delator Vinicius Veiga Borin, responsável pelo banco da propina da Odebrecht.
Ele explicou aos procuradores a complexa estrutura de lavagem de dinheiro criada pela empreiteira: as contas mantidas no exterior controladas por Marcos Grillo, graduado executivo da Odebrecht, abasteciam as contas controladas por Fernando Migliaccio (Setor de Operações Estruturadas) -- e estas as de Olívio Rodrigues.
"Quando era necessário entregar valores em espécie em território nacional, havia a utilização de mais uma camada de offshores, as quais eram controladas por Rodrigo Tacla Duran."
Duran repassava os recursos para contas de doleiros no exterior e recebia o dinheiro em espécie no Brasil. Para isso, ele usava contas de empresas de fachada do chinês Wu Yu Sheng e dos irmãos Adir e Samir Assad.
Mas não só. Rodrigo Tacla Duran também fazia transferênciaspara um sujeito chamado Vinicius (apelido Juca), dono de uma casa de câmbio no Uruguai, além de um tal "Carioca" - ainda não identificado.
Segundo Borin, Tacla Duran tinha ao menos 12 contas bancárias em nome de offshores e também usava o sistema Drousys, do setor de propina da Odebrecht. Seu nickname era "Rui Rey".
A Lava Jato descobriu ainda que Duran é o procurador da conta 889462 do Bank Pictet & Cie, em Singapura, que recebeu R$ 12,7 milhões da Constructora Del Sur (Odebrecht).

A vingança de Janete



Michel Temer derrubou Dilma Rousseff.
Agora Dilma Rousseff pode se vingar e derrubar Michel Temer.
O cheque da Andrade Gutierrez para a campanha presidencial, em nome de Michel Temer, impede que o TSE separe as contas dos dois.

OPERAÇÃO DRAGÃO PODE RESPINGAR EM BANCO CHINÊS


Sérgio Moro negou pedido do MPF para conduzir coercitivamente José Anchieta Carvalho, superintendente do China Construction Bank (CCB Brasil), que absorveu o BIC Banco.
Moro determinou que Carvalho deve ser apenas intimado para ser ouvido nos autos. O MPF descobriu que o executivo aparece como administrador de três empresas usadas para lavagem de dinheiro: Brugge Consultoria, Administrare Capital e Frankfurt Fomento Mercantil.
As três empresas tem como sócia Pagliuca, Carratu e Associados Consultoria Empresarial, de propriedade de Ivan Orefice Carratu, responsável por apresentar a Ricardo Pessoa o operador Rodrigo Tacla Duran.
Mas o próprio Ivan Carratu também prestou serviços à UTC. A empreiteira lhe repassou mais de R$ 23 milhões entre 2007 e 2014. Carratu também fez negócios com Rodrigo Duran e Adir Assad.

OS CLIENTES DO OPERADOR DA 'DRAGÃO'


Só o escritório de advocacia de Tacla Duran foi utilizado para lavar R$ 54,8 milhões para as empresas Mendes Júnior, SA Paulista de Construções, UTC, EIT, Triunfo, Treviso e Econorte.

RICARDO PESSOA ENTREGOU OPERADOR


Nos autos da Operação Dragão, o MPF explica que Ricardo Pessoa confessou, recentemente, ter lançado mão dos serviços ilícitos de Rodrigo Tacla Duran para "gerar dinheiro em espécie ao Grupo UTC". Foram R$ 35 milhões só para a empreiteira de Pessoa.
O MPF, porém, descobriu que Duran emitiu um total de R$ 56 milhões em notas fiscais.

LAVA JATO BLOQUEIA ATÉ 80 MILHÕES DE OPERADOR


A pedido do MPF, o juiz Sérgio Moro determinou o bloqueio de até R$ 80 milhões em contas de Rodrigo Tacla Duran e das empresas Tacla Duran Sociedade de Advogados, TWC Participações e Econocell do Brasil.

O elo da corrupção


A força-tarefa da Lava Jato explica que os operadores são elo entre corruptores e corrompidos.
Eles trabalhavam para levantar recursos que depois seriam usados para pagar propina.
A UTC, por exemplo, revelou que Rodrigo Tacla Duran foi apresentado aos executivos da construtora com a específica finalidade de lavar dinheiro.

O preço de "Opaió"


No ano passado, José Sérgio Gabrielli, que ainda não foi preso, disse a Sergio Moro:
“Eu tive algumas reuniões estratégicas com Marcelo Odebrecht. Eu não discuti com Marcelo nenhum detalhe de fórmula, discuti conceitos gerais sobre precificação. O conceito que discutimos era um preço de nafta que vai basear-se apenas na competição internacional ou um preço de nafta que vai basear-se na competição internacional".
O conceito discutido para definir o preço da nafta, como revelou O Antagonista revelou ontem à tarde, foi a precificação de Jaques Wagner, codinome "Opaió".

Por que Lula ainda não foi preso?


"Por um Brasil justo pra todos e pra Lula".
Esse é o lema da campanha contra a Lava Jato que será apresentada hoje por Lula e seus cúmplices.
O manifesto publicado pelos simpatizantes da ORCRIM ataca os "excessos e desvios" da Lava Jato e conclui:
"Esse conjunto de ameaças e retrocessos exige uma resposta firme por parte de todos os democratas, acima de posições partidárias. Quando um cidadão é injustiçado – seja ele um ex-presidente ou um trabalhador braçal – cada um de nós é vítima da injustiça, pois somos todos iguais perante a lei. Hoje no Brasil, defender o direito de Lula à presunção da inocência, à ampla defesa e a um juízo imparcial é defender a democracia e o estado de direito. É defender a liberdade, os direitos e a cidadania de todos os brasileiros".
Ninguém sabe por que Lula ainda não foi preso.

AS TROCAS MILIONÁRIAS DOS OPERADORES



Dissemos mais cedo que uma das empresas de Rodrigo Tacla Duran, a Econocell do Brasil, repassou R$ 3,5 milhões a Adir Assad.
Assad, por sua vez, transferiu R$ 24,3 milhões para Tacla Duran.
"No mesmo sentido, empresas ligadas a outro operador, Ivan Orefice Carratu, pessoa ligada a Duran, receberam de Adir Assad a quantia de R$ 2.905.760,10", segundo os procuradores da Lava Jato.

O dragão chinês da Odebrecht



Rodrigo Duran, o operador da Odebrecht preso pela Lava Jato, fazia repasses de propina por meio de um chinês da rua 25 de Março, Wu-Yu Sheng.
Por isso sua planilha era denominada "Dragão".
Como descobriu a PF na operação Acarajé, Rodrigo Duran recebia o dinheiro sujo de Olívio Rodrigues Junior, o administrador do banco da propina da Odebrecht, no Caribe.

Um cheque para Temer



Michel Temer recebeu um cheque nominal de 1 milhão de reais da Andrade Gutierrez.
O comprovante foi apresentado ao TSE pelos advogados de Dilma Rousseff. Eles querem demonstrar que a chapa presidencial era uma coisa só, desmentindo o presidente da empreiteira, Otávio Azevedo.
Diz o Estadão:
"Ao ser indagado em setembro pelo ministro Herman Benjamin sobre as doações feitas pela empresa aos vários candidatos e partidos, Otávio disse não haver uma distinção no caixa da companhia sobre os repasses feitos aos vários políticos, mas disse que 'certamente' este um milhão doado ao PT em março, e que ele pensou ter sido repassado em julho, era decorrente do acerto de propinas da Andrade com o governo federal".
Agora o PT mostrou que o repasse para a campanha, decorrente de um achaque, foi feito por meio de Michel Temer. 

COLUNA DE SAÚDE DA ROSANE DO CARMO: Disfunção erétil



Disfunção erétil ou impotência sexual, é a incapacidade permanente que se tem de manter  uma ereção rígida o suficiente para relação sexual satisfatória e completa.   
Ha necessidade de um enorme aumento do fluxo de sangue para que o pênis fique ereto. E é mais comum ocorrer com avanço da idade, mas essa não é sua única causa. Dificuldade em obter e/ou manter a ereção podem ocorrer em qualquer fase da vida de um homem.
Na maioria dos casos a causa é de origem psicogênico, ou seja, interferência de fatores emocionais e psicológicos, que afetam autoconfiança do homem, como:
·         Insegurança em relação ao desempenho sexual,
·        Receio de não satisfazer a parceira,
·        Estresse, depressão, cansaço,
·        Preocupações  familiares, financeiras e profissionais,
·        Luto,
·        Aposentadoria,
·        Desemprego.

Quando a circulação para o órgão está comprometida por um desses fatores,  a disfunção erétil pode surgir.

São causas da disfunção erétil:

·        Distúrbios psicológicos;
·        Doenças hormonais (diabetes, queda de testosterona, problemas endócrinos);
·        Doenças neurológicas (lesões na medula, mal de Alzheimer e Parkinson);
·        Doenças vasculares, que causam entupimento das artérias e veias, prejudicando a chegada do sangue ao pênis (hipertensão arterial, aterosclerose);
·        Consumo excessivo de medicamentos;
·        Cirurgias pélvicas;
·        Doença de Peyronie ou fibrose dos corpos cavernosos;
·        Alcoolismo e tabagismo;
 Lembre-se que os fatores de risco são semelhantes e que o problema circulatório para o pênis pode alertar para outros sistemas do corpo que não andam bem.

Os fatores de risco para doenças cardiovasculares, como infarto e derrame também são considerados fatores de risco para disfunção erétil.

São eles:

·        Diabetes;
·        Hipertensão arterial;
·        Dislipidemia (colesterol e triglicérides alterados);
·        Tabagismo;
·        Obesidade;
·        Sedentarismo.

Falhas eventuais de ereção podem acontecer a qualquer homem. Mas quando a ereção não é adequada e isso se repete com freqüência, é importante  procurar ajuda médica.
O diagnóstico é clínico, através de uma boa conversa com o paciente.

O tratamento

Com o tratamento por meio da Terapia Sexual , o homem gradativamente conseguirá identificar os seus medos , conflitos e ansiedade frente ao sexo. Aprende a lidar com sua sexualidade, sem a tensão provocada pelos fatores culturais, através dos quais foi educado, diminuindo as cobranças que faz em relação ao seu desempenho sexual ou de sua parceira, em relação à obtenção de uma ereção.

A indicação de técnicas específicas para obtenção, perda e retenção da ereção ajudam o homem a restabelecer a sua auto-estima e auto confiança neste processo. Na maioria dos casos não chega a ser necessária a prescrição de medicamentos.
Um ponto muito importante e nem sempre valorizado consiste em cuidar do relacionamento. Avaliar a parceira e como o casal está conduzindo seus problemas e questões. Em alguns casos, vale o apoio de psicólogos ou outros profissionais para melhorar a relação do casal.
 Em alguns casos pode ser necessário uso de medicações  para disfunção erétil.

Os medicamentos mais usados para o tratamento de disfunção erétil são:

Cialis
Viagra

Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para cada caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre as orientações do seu médico e nunca  se automedique. Nao interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

O importante é não ter vergonha  de falar com a parceira e de procurar o serviço de saúde.

“Não é um bicho de sete cabeças, e não é algo que não tem cura”.

              www.bayer.com.br
              www.minhavida.com.br

Abraços

  Rosane do Carmo


Eles querem manter o foro privilegiado



O Estadão informa que o deputado Beto Mansur quer deixar sua marca na discussão sobre o foro privilegiado, o que é um perigo.
Uma da ideias é designar uma turmas de juízes para julgar os processos relacionados a políticos no STF.
É o mesmo que não acabar com o privilégio.