Fala, Eduardo Cunha entregue todos


eduardo-cunha
A tensão entre políticos voltou a aumentar depois desta informação.O ex-deputado Eduardo Cunha sempre disse que mesmo se fosse preso não faria delação premiada. Há dois meses em uma cela da Polícia Federal em Curitiba, Cunha começa a mudar de ideia. Como falharam todas as tentativas de responder em liberdade ao processo da Lava Jato, não terá outra saída que não seja a de entregar tudo e todos. Vai abrir o bico.

Atos “Fora Renan” em Curitiba e mais 13 capitais


canalheiros-diante-de-predio-de-renan-em-ato-fora-renan-em-maceio-foto-daniel-araujo
Grupos pró-impeachment protestam neste domingo (20) em todas as regiões do País pela queda do presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL) e pela defesa da Operação Lava Jato e das Dez Medidas Anticorrupção. As manifestações do “Fora Renan” serão realizadas em 14 capitais e mais quatro cidades brasileiras.
O ponto central do movimento será na capital alagoana, onde os protestos se concentram no coração da área mais rica de Maceió, na Ponta Verde, onde o boneco ‘Canalheiros’ será erguido diante do prédio onde mora o senador Renan, na região do antigo Alagoinhas. Na capital alagoana, o protesto tem previsão de iniciar às 10h, no horário local. e nas demais cidades os horários variam das 9h às 17h.
O prédio de Renan, localizado no coração do bairro mais nobre de Maceió, já foi alvo de outro ato de repúdio ao senador alagoano, em agosto de 2015, quando manifestantes lavaram com água, sabão e vassouras a calçada do edifício.
Na última sexta-feira (18), o Supremo Tribunal Federal (STF) confirmou a autorização do ministro Dias Toffoli para a abertura do 12º inquérito contra o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), em razão de uma movimentação financeira suspeita de R$ 5,7 milhões. Alvo incidental da Operação Lava Jato, Renan divulgou nota com o seguinte teor: “O senador já esclareceu todos os fatos relativos a esta questão e é o maior interessado no esclarecimento definitivo do episódio. Senador lembra ainda que foi o autor do pedido de investigação das falsas denúncias em 2007, há quase dez anos”.
Inimigo nº 1
A líder do movimento Nas Ruas, Carla Zambelli participa da manifestação em Maceió, que também conta com o apoio dos seguintes movimentos: Fora Corruptos, Frente pela Liberdade (FPL), Instituto liberal de Alagoas (ILA), Movimento Brasil (MBR), Instituto Conservador de Alagoas (Ical) e Foro de Maceió, entre outros.
O historiador Marco Antonio Villa também divulgou vídeo em que elege Renan Calheiros como o “Inimigo nº 1 do Brasil”, após Dilma, Lula e Eduardo Cunha. E alertou para os problemas que o presidente do Senado pode causar para o combate à corrupção. “Temos que concentrar fogo na figura de Renan Calheiros. Ele é inimigo do Brasil. Temos que politicamente acabar com Renan Calheiros”, disse Villa, que é comentarista do Jornal da Cultura, da TV Cultura.

Diploma suspeito pode tirar privilégios de Garotinho

A fase ruim do ex-governador do Rio, Anthony Garotinho, parece estar só começando. Agora, é o seu diploma universitário que está sendo questioando. Segundo matéria do jornal O Globo, inconsistências em datas, documentos e carga horária de aulas põem em dúvida sua formação em Teologia, o que pode mudar seu destino no sistema carcerário. Detentos com curso superior ficam em Bangu 8, mais confortável que outros presídios do sistema.
Na madrugada deste sábado, o ex-governador foi transferido do Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, para um hospital particular na Zona Norte do Rio. A transferência foi determinada na sexta-feira pela ministra Luciana Lóssio, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Depois que ele for submetido a acompanhamento médico e realizar os exames necessários, poderá ficar em prisão domiciliar.
De acordo com o jornal, em um processo de 2014 do Tribunal Regional Eleitoral, Garotinho afirmou ter feito a graduação na Fatun, no Centro do Rio. Nos autos, no entanto, ele informou que o diploma foi expedido pela Faculdade de Ciências, Educação e Teologia do Norte do Brasil (Faceten), em Roraima. Em publicação em seu blog, apresentou o diploma de uma terceira instituição: o Instituto de Ensino Evangélico e Formação Teológica, do Rio.
Para o desembargador Alexandre de Carvalho Mesquita, que relatou a ação por suposto abuso de poder econômico, os fatos mostram que “o investigado nunca fez um curso superior de Teologia”. Ele apontou ainda “evidências de falsidade ideológica” no episódio.
O diploma apresentado por Garotinho no blog mostra que o curso foi concluído em dezembro de 2011. À Justiça Eleitoral, porém, o ex-governador informou o mês de outubro de 2012.
Garotinho está preso desde quarta-feira por acusação de compra de votos nas eleições deste ano. Sexta-feira à noite, em decisão da ministra do Tribunal Superior Eleitoral Luciana Lóssio, ele foi transferido do presídio de Bangu 8 para um hospital particular.

Perícia mostra que policiais e helicóptero não foram alvejados

Perícia preliminar feita no helicóptero da Polícia Militar aponta que a aeronave não foi alvejada. A autópsia feita nos corpos dos quatro PMs mortos na queda do helicóptero neste sábado também aponta que eles morreram em decorrência do impacto. As informações são do porta-voz da PM, major Ivan Blaz. “A documentação pertinente à manutenção da aeronave está em poder do comando da PM e está ok. Mas é muito prematuro que venhamos a falar sem a perícia da aeronáutica. Ela é fundamental para que a gente possa identificar as causas da queda da aeronave”, afirmou Blaz.
Questionado se pode ter havido falha humana, já que os policiais estavam sob forte pressão, ele respondeu que os PMs tinham experiência nesse tipo de voo. “Estamos falando de policiais que trabalhavam há vários anos em operações aéreas. Falar isso neste momento seria até um desrespeito com esses agentes”, afirmou Blaz.

Sobre as operações na Cidade de Deus, afirmou que os confrontos na região são “extremamente complexos”, já que a favela é cercada por mata fechada e área de mangue. “Temos ali ações das tropas especiais visando a manutenção do controle daquela região”. Ele confirmou que foram encontrados sete mortos na região. Sobre a denúncia dos moradores de que houve execução, Blaz afirmou que “os mecanismos correcionais estão à disposição para análise dessas denúncias”.
(Com Estadão Conteúdo)

Assistam e vomitem



Wadih Damous, o longa manus de Lula no Congresso, ataca as 10 medidas contra a corrupção ("pacote nazifascista"), chama a força-tarefa da Lava Jato de "turminha" e Deltan Dallagnol de "chefete".
Assistam e vomitem:

Policiais mortos em queda de helicóptero são velados no Rio


estadao_conteudo_cor
Reprodução
Reprodução
Uma equipe da Policia Militar do Rio sobrevoou de helicóptero e lançou pétalas de rosas durante o velório coletivo de três dos quatro PMs mortos na queda de uma aeronave ontem, durante operação na zona oeste da capital fluminense. O velório ocorreu no Salão Nobre do Batalhão de Choque e foi restrito aos parentes e amigos dos policiais. Ao fim da cerimônia, houve salva de tiros em homenagem aos militares. Colegas estavam muito emocionados.
Quatro policiais militares morreram na queda de um helicóptero da Polícia Militar, próximo à Favela Cidade de Deus, na zona oeste, no início da noite deste sábado, 19. Imagens das câmeras do Centro de Operações Rio mostraram policiais militares junto ao helicóptero.
Não há ainda informações se a aeronave foi abatida ou se teve uma pane. “Ainda não temos informações sobre isso. Somente a perícia poderá confirmar o que ocorreu”, afirmou o major Ivan Blaz, porta-voz da Polícia Militar.
Coletivo
Três dos quatro policiais mortos na queda de helicóptero na Favela Cidade de Deus estão sendo velados neste domingo, 20, no Batalhão de Choque, no centro do Rio. São eles: major Rogério Melo Costa, de 36 ano; subtenente Camilo Barbosa Carvalho, de 39, e terceiro-sargento Rogerio Felix Rainha, de 39.
O corpo do capitão e piloto do helicóptero Willian de Freitas Schorcht, de 37 anos, seguiu direto para Resende, na Região Sul Fluminense, onde vive a família. Ele será enterrado às 16h30, no Cemitério Alto dos Passos.

Carro tenta desviar de acidente e provoca colisão com outros 4 veículos; assustado, cachorro desapareceu


Por Felipe Ribeiro
Foto: Colaboração Guilherme Chiuratto
Foto: Colaboração Guilherme Chiuratto

Um acidente envolvendo seis veículos bloqueou parcialmente a Linha Verde no começo da tarde deste domingo (20), nas proximidades da passarela da Universidade Federal do Paraná (UFPR), em Curitiba. Segundo testemunhas, um primeiro acidente envolveu dois carros, mas uma tentativa de desvio acabou envolvendo outros quatro veículos. Após a segunda colisão, um cachorro da raça lhasa que estava em um veículo Celta desapareceu.
Segundo um dos motoristas envolvidos, um dos carros do primeiro acidente estava parado na BR, quando um Fit tentou desviar e acabou atingido pelo Civic. “Com a batida, o Civic capotou, mas ninguém se feriu com gravidade no local. Foi tudo muito rápido, só consegui vir o momento que o Fit desviou e acabou atingido”, explicou.
O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou a ser acionado, mas o único ferido recusou atendimento.
A Polícia Rodoviária Federal atendeu a batida no local e liberou a pista por volta das 14 horas.
Cachorro desaparecido
No segundo acidente, um cachorro da raça lhasa desapareceu após a batida. De acordo com a dona dele, Josiane Glonek, com a sinalização do acidente, acabaram se envolvendo na batida. “Ele provavelmente se assustou e não sei como ele fugiu. Tentamos ver o que tinha acontecido com o acidente, mas foi nesse momento”, comentou.
Qualquer informação que leve até o cachorro pode ser repassada à Banda B pelo telefone (41) 3240-7500.
Divulgação
Divulgação

Escritório de sócio de Geddel advoga para construtora de imóvel barrado



PUBLICIDADE
Sócios do ministro Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo) em um restaurante na Bahia têm ou tiveram relações com a empreiteira Cosbat, responsável pela obra em Salvador que levou à saída de Marcelo Calero da Cultura.
O demissionário disse que sofreu pressões por um parecer favorável à continuidade da construção do La Vue. Geddel admite a conversa, mas nega interesses pessoais.
Pedro Ladeira/Folhapress
O ministro da secretaria de Governo de Michel Temer, Geddel Vieira Lima
O ministro da secretaria de Governo de Michel Temer, Geddel Vieira Lima
Seu primo e sócio no restaurante Al Mare, Jayme Vieira Lima Filho, tem um escritório de advocacia que defende a Cosbat na Justiça baiana.
O escritório Vieira Lima Filho Advogados Associados representa a construtora em uma ação de 2011 em uma vara de relações de consumo. O processo trata de outro edifício, chamado Ondina Mar.

Tanto Jayme quanto outro primo de Geddel, Pedro Luz, constam como advogados da empreiteira no processo.

Procurado, Jayme afirmou desconhecer a ação. Ele atua na área eleitoral e já representou inclusive o PMDB da Bahia, comandado por Geddel.
Disse que seu nome deve ter sido incluído só formalmente por outro sócio do escritório e que não realizou atos processuais nesse caso.
Outro que divide com Geddel a sociedade do restaurante é Christiano Pinto Polillo, ex-executivo da empreiteira OAS que atuou no Porto Maravilha, projeto de revitalização no Rio.

Polillo foi também administrador da Morro do Gato Empreendimentos em conjunto com um sócio de Luiz Fernando Machado Costa Filho, dono da Cosbat. Ele negou à Folha que tenha participado da empresa e disse que os dados da Receita "devem estar errados".
A reportagem não conseguiu localizar Costa Filho.

EM DEFESA

Em julho, Geddel brigou com vereadores e o banqueiro Marcos Mariani em favor do edifício La Vue, da Cosbat.
Em mensagem no Twitter, disse que o empresário influenciava políticos para barrar edifício em sua vizinhança. A região da ladeira da Barra, voltada para a Baía de Todos os Santos, é uma das mais valorizadas da cidade.
O ministro disse à Folha ser amigo do dono da Cosbat, mas negou conflito de interesse.

Declarou ter defendido o interesse das pessoas que adquiriram apartamentos no empreendimento, como ele, e ressaltou que a empreiteira não realiza obras públicas.
Para o peemedebista, a estimativa de valor dos apartamentos (R$ 2,6 milhões) é exagerada, mas não revelou a quantia que negociou.

OAS

A Cosbat é sócia da construtora OAS em outro empreendimento que causou polêmica em Salvador, o Residencial Costa España.
Em janeiro deste ano, reportagem de "O Globo" revelou interceptações de mensagens no âmbito da Lava Jato que mostram atuação de Geddel junto à Prefeitura de Salvador em favor do projeto.

"Não esqueça daquela oportunidade para concluirmos aquela conversa sobre o Costa Espanha. Estou precisando definir aquele tema", disse Geddel em mensagem a Léo Pinheiro, sócio da OAS, que foi condenado a 16 anos de prisão por corrupção.
Em mensagem a interlocutor, Pinheiro disse: "Nosso amigo GVL (Geddel) pede para vc ligar para Luis. Teve com o baixinho (ACM Neto) e está liberado o Costa Espanha".
À época, Geddel disse ter conversado com o prefeito sobre uma ciclovia na região. 

Garotinho passa por angioplastia e recebe implante de 'stent'


Segundo hospital, foi diagnosticada obstrução em ramo da coronária direita.
Procedimento foi considerado um sucesso.

Do G1 Rio
Viatura da Polícia Federal chega ao Quinta D'Or (Foto: Carlos Brito/G1)Viatura da Polícia Federal chega ao Quinta D'Or (Foto: Carlos Brito/G1)
O ex-governador Anthony Garotinho, que está sob custódia no hospital Quinta d'Or, na Zona Norte do Rio, foi submetido a cateterismo cardíaco na manhã deste domingo (20).
Segundo nota da assessoria de imprensa da unidade, foi diagnosticada obstrução em ramo da coronária direita, que foi tratada com angioplastia e implante de “stent” farmacológico, com sucesso. Após o procedimento, o paciente encontra-se estável, em observação na Unidade Cardiointensiva.
De acordo com o médico de Garotinho, Marcial Raul Navarrete Uribe, "houve risco potencial ao paciente de
infarto agudo do miocárdio, quando submetido à situação de stress, como ocorreu com sua remoção intempestiva, inadequada e desnecessária".
Garotinho foi preso na última quarta-feira, na operação 'Chequinho', da Polícia Federal, que apurava compra de votos através da distribuição do cheque cidadão em Campos. O ex-governador nega envolvimento com o caso.
Após a prisão, Garotinho se sentiu mal, segundo sua defesa, e foi levado para o Hospital Souza Aguiar, no Centro. Uma liminar concedida pelo juiz da 100ª Zona Eleitoral de Campos, Glaucenir Silva de Oliveira, entretanto, determinou que ele fosse levado para Bangu.
Anthony Garotinho é transferido de hospital para presídio em Bangu no Rio (Foto: Alexandre Cassiano/Agência O Globo)Anthony Garotinho é transferido de hospital para presídio em Bangu no Rio (Foto: Alexandre Cassiano/Agência O Globo)
Garotinho chegou a ser levado para a UPA do Complexo de Gericinó, mas outra decisão, da ministra Luciana Lóssio, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), determinou nesta sexta-feira (18) a transferência do ex-governador para um hospital. A decisão é liminar (provisória) e será levada à apreciação do plenário do TSE na próxima sessão da Corte.
A ministra também determinou que, após o prazo necessário para a conclusão dos exames e procedimentos médicos indicados pela equipe, o ex-governador fique preso em regime domiciliar. Ele está no hospital Quinta D'Or, desde a madrugada desta sexta.
No sábado, a Procuradoria Regional Eleitoral no Rio de Janeiro (PRE/RJ) informou que pediu à Polícia Federal que instaure um inquérito para apurar denúncias de que o juiz que decretou a prisão do ex-governador Anthony Garotinho recebeu ofertas de propina para evitar sua prisão. A defesa de Garotinho disse ao Jornal Hoje que vai representar contra o juiz pelo crime de denunciação caluniosa.

Ameaça às 10 Medidas é real. E brutal



Onyx Lorenzoni falou à Folha sobre as pressões dos colegas parlamentares por trás das críticas ao projeto das 10 Medidas contra a corrupção, que ele relata: 
Esse movimento pela anistia (ao caixa 2) é uma ameaça ao pacote?Com sinceridade, acho. Acho que é um risco. Inclusive acredito que a questão da responsabilização que chegamos a propor para juízes e procuradores é apenas a desculpa [parlamentares ameaçam derrubar o relatório sob o argumento de que Onyx retirou essa medida]. O mote é derrotar o relatório, que é derrotar as "dez medidas".
O sr. acha que a crítica à retirada da punição mais dura a juízes e Ministério Público é um pretexto para aprovar a anistia ao caixa dois?Sim, o caixa dois é uma desculpa, é um biombo para passar a boiada do ilícito. Sou médico veterinário e não vou permitir a passagem da boiada do ilícito.

Após queda de helicóptero, polícia faz operação na Cidade de Deus

Pelo menos um homem foi preso durante operação realizada pela Polícia Militar do Rio de Janeiro na Cidade de Deus, favela da zona oeste da cidade, neste domingo (20). Com ele foram apreendidos três fuzis e duas pistolas, segundo a PM. O caso foi encaminhado à 32ª DP (Taquara).
A ação, que começou durante a madrugada, foi determinada pela cúpula da Segurança Pública do Rio após a queda de um helicóptero da PM, ocorrida por volta das 19h30 deste sábado (19). Os quatro policiais que estavam na aeronave morreram. Ainda não se sabe se a aeronave sofreu uma pane ou foi alvejada por criminosos. Ela era usada no apoio a uma operação policial que ocorria na Cidade de Deus ao longo do sábado.
Na manhã deste domingo, as principais ruas da Cidade de Deus estavam interditadas.

Confrontos

Durante todo o dia de ontem houve confrontos entre policiais, traficantes e milicianos. A Linha Amarela, via expressa que liga as zonas norte e oeste do Rio, chegou a ser fechada duas vezes devido aos tiroteios.
Os policiais mortos são o major Rogério Melo Costa, 36, o capitão William de Freitas Schorcht, 37, o subtenente Camilo Barbosa Carvalho, 39, e o sargento Rogério Felix Rainha, 39. Os corpos chegaram à 0h30 deste domingo ao Instituto Médico-Legal, onde permanecem.
Marcelo Carnaval/Agência O Globo
Peritos analisam peças de helicóptero da PM que caiu no Rio de Janeiro
Na noite de sábado, após a queda, chefes das polícias Civil e Militar se reuniram com autoridades da Secretaria Estadual de Segurança no Centro Integrado de Comando e Controle, no centro do Rio, para uma reunião emergencial. Dali surgiu a ordem para que durante a madrugada fosse feita uma operação policial na Cidade de Deus, realizada por policiais militares de diversos batalhões.

Troca de tiros

Desde a sexta-feira (18) foram registrados intensos confrontos entre criminosos da favela Cidade de Deus. Na manhã de sábado, eles voltaram a se enfrentar e traficantes bloquearam a avenida Edgard Werneck, que é a principal da Cidade de Deus, onde fica a base da UPP, com pneus e lixeiras incendiados. Policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) trocaram tiros com os criminosos. 
Nas redes sociais, moradores relataram o dia de tiroteios. "A bala tá comendo na CDD. Só escuto os cara da Bope [Batalhão de Operações Policiais Especiais] gritando: 'Sai da rua morador'", escreveu um rapaz, uma hora antes de o helicóptero cair. Um traficante postou uma foto, com um fuzil. "Nada mudou. Nós 'tá' na pista", escreveu.
Após a queda do helicóptero, a PM lamentou a morte dos policiais. "A Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro lamenta o falecimento de seus policiais militares e o Comando da Corporação está dedicado a prestar todo apoio às famílias desses policiais", disse a instituição.
Outra nota foi publicada na página oficial da corporação no Facebook. No comunicado é mencionada a morte de outro policial ocorrida neste sábado. O 3º Sargento Cristiano Bittencourt Coutinho participava de uma outra operação quando foi atingido por um tiro após a viatura em que se encontrava ter sido alvejada no bairro Jacaré:
Marcelo Carnaval/Agência O Globo
Policiais patrulham região onde caiu helicóptero da PM no Rio de Janeiro
Em 2009, dois policiais morreram e três ficaram feridos após um helicóptero da Polícia Militar realizar um pouso forçado no Morro dos Macacos. A aeronave, parcialmente blindada, havia sido atingida por tiros durante uma operação policial. Além dos tripulantes mortos, um capitão da PM foi baleado na perna e outros dois policiais tiveram queimaduras leves.
(Com Agência Estado; com a colaboração de Alfredo Mergulhão, do Rio)

Helicóptero da PM cai no Rio durante troca de tiros; quatro policiais morrem

Quatro policiais militares morreram na queda de um helicóptero da Polícia Militar, na região da Cidade de Deus, na zona oeste do Rio de Janeiro, no início da noite deste sábado (19). Segundo informações do Posto de Policiamento Comunitário da Cidade de Deus, a aeronave caiu durante uma troca de tiros com criminosos. Ainda não há informações sobre o motivo da queda.
O helicóptero da PM dava apoio a uma operação policial realizada na região para tentar por fim a um confronto entre criminosos. As informações preliminares suspeitam que a aeronave tenha tido uma pane. As causas serão investigadas.
As vítimas foram identificadas como o major Rogério Melo Costa, o capitão William de Freitas Short, o subtenente Camilo Barbosa Carvalho e o sargento Rogério Felix Rainha.
Não há informações sobre suspeitos presos. A cúpula de Segurança Pública do Rio estava reunida na noite de sábado.
"A Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro lamenta o falecimento de seus policiais militares e o Comando da Corporação está dedicado a prestar todo apoio às famílias desses policiais", disse a instituição, em nota.
Outra nota foi publicada na página oficial da corporação no Facebook. No comunicado é mencionada a morte de outro policial ocorrida neste sábado. O 3º Sargento Cristiano Bittencourt Coutinho participava de uma outra operação quando foi atingido por um tiro após a viatura em que se encontrava ter sido alvejada no bairro Jacaré:
Marcelo Carnaval/Agência O Globo
Peritos analisam peças de helicóptero da PM que caiu no Rio de Janeiro
A Linha Amarela e av. Ayrton Senna, que cortam a região, ficaram totalmente interditadas por mais de uma hora, nos dois sentidos, por causa do acidente. O helicóptero caiu em um local próximo às vias.
Desde a sexta-feira (18) foram registrados intensos confrontos entre criminosos da favela Cidade de Deus. Na manhã deste sábado, eles voltaram a se enfrentar e traficantes bloquearam a avenida Edgard Werneck, que é a principal da Cidade de Deus, onde fica a base da UPP, com pneus e lixeiras incendiados. Policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) trocaram tiros com os criminosos. 
Nas redes sociais, moradores relataram o dia de tiroteios. "A bala tá comendo na CDD. Só escuto os cara da Bope [Batalhão de Operações Policiais Especiais] gritando: 'Sai da rua morador'", escreveu um rapaz, uma hora antes de o helicóptero cair. Um traficante postou uma foto, com um fuzil. "Nada mudou. Nós 'tá' na pista", escreveu.
A Linha Amarela foi fechada por duas vezes para o tráfego, ao longo do dia. À noite, voltou a ser fechada novamente, após a queda do helicóptero. Moradores filmaram a movimentação de traficantes sobre um viaduto próximo ao helicóptero. Nas imagens, saía fumaça da aeronave e outros policiais já a cercavam (assista ao vídeo no topo da página).
Marcelo Carnaval/Agência O Globo
Policiais patrulham região onde caiu helicóptero da PM no Rio de Janeiro
Em 2009, dois policiais morreram e três ficaram feridos após um helicóptero da Polícia Militar realizar um pouso forçado no Morro dos Macacos. A aeronave, parcialmente blindada, havia sido atingida por tiros durante uma operação policial. Além dos tripulantes mortos, um capitão da PM foi baleado na perna e outros dois policiais tiveram queimaduras leves. (Com Agência Estado; com a colaboração de Alfredo Mergulhão, do Rio)